Menu

Paralisia de sono: um pesadelo nocturno

Os pesquisadores do sono concluem que, na maioria dos casos, a paralisia do sono é simplesmente um sinal de que o corpo não está a cumprir devidamente as fases do sono. Esta condição é raramente associada a problemas psiquiátricos profundos.

Ao longo dos séculos, os sintomas da paralisia do sono foram descritos de várias maneiras e frequentemente atribuídos a uma presença "maligna": demónios nocturnos invisíveis nos tempos antigos, a velha bruxa em Romeu e Julieta de Shakespeare e abdutores alienígenas. Quase todas as culturas ao longo da história tiveram histórias de criaturas malignas que aterrorizavam humanos indefesos à noite. Faz algum tempo que as pessoas procuram explicações para essa misteriosa paralisia do sono e os sentimentos de terror que a acompanham.

A paralisia do sono é a sensação de estar consciente, mas incapaz de se mover. Ocorre quando uma pessoa passa entre estágios de vigília e sono. Durante essas transições, a pessoa pode não conseguir mover-se ou falar por alguns segundos até alguns minutos. Algumas pessoas também podem sentir um aumento de pressão ou sensação de asfixia. A paralisia do sono pode fazer-se acompanhar de outros distúrbios ligados ao sono, como a narcolepsia. A narcolepsia é a necessidade avassaladora de dormir causada por um problema com a capacidade do cérebro regular o sono.

A paralisia do sono geralmente ocorre uma a duas vezes. Se ocorrer enquanto a pessoa estiver a adormecer, é chamado de paralisia do sono hipnagógica ou pré-mitral. Se isso acontece quando estamos a acordar, tem o nome de paralisia do sono hipnopómpica ou pós-sentimental. Na paralisia do sono hipnagógica a pessoa adormece e o seu corpo relaxa lentamente. Normalmente tornamo-nos menos conscientes, então nos apercebemos da mudança. No entanto, se permanecermos ou ficarmos conscientes ao adormecer, é notável a paralisia nos movimentos e na fala.

No caso da paralisia do sono hipnopómpico, durante o sono, o corpo alterna entre o sono REM (movimento rápido dos olhos) e NREM (movimento dos olhos não rápido). Um ciclo de sono REM e NREM dura cerca de 90 minutos. O sono NREM ocorre primeiro e leva até 75% do seu tempo total de sono. Durante o sono NREM, o corpo relaxa e se restaura. No final do NREM, o sono muda para REM. Os olhos movem-se rapidamente e os sonhos ocorrem, mas o resto do corpo permanece muito relaxado. Os músculos estão "desligados" durante o sono REM. Com a devida atenção, conseguimos notar os efeitos da paralisia da fala e do corpo durante esta transição.

Até quatro em cada dez pessoas podem ter paralisia do sono. Esta condição comum é muitas vezes observada pela primeira vez na adolescência, mas homens e mulheres de qualquer idade podem tê-la. A paralisia do sono pode ocorrer em famílias. Outros factores que podem estar relacionados à paralisia do sono incluem:

  • Falta de sono;
  • Mudanças constantes do horário de descanso;
  • Condições mentais como estresse ou transtorno bipolar;
  • Dormir de costas;
  • Problemas de sono, como narcolepsia ou cãibras nas pernas durante a noite;
  • Uso de certos medicamentos, como aqueles para TDAH (Transtorno do Deficit de Atenção e Hiperactividade) e;
  • Abuso de substâncias.

Por isso, caso não consiga mover-se ou falar por alguns segundos ou minutos ao adormecer ou acordar, é provável que esteja em presença de uma paralisia recorrente do sono. Muitas vezes não há necessidade de tratar essa condição. Fale com um médico se tiver alguns destes sintomas: ansiedade, cansaço excessivo durante o dia, insónia.

Não há necessidade de temer demónios nocturnos ou abdutores alienígenas. Caso tenha paralisia do sono ocasional, poderá tomar medidas em casa para controlar esse distúrbio. Comece por dormir  o suficiente. Faça o que puder para aliviar o estresse em sua vida - especialmente pouco antes de dormir. Tente novas posições de dormir, evitando dormir de costas. E não se esqueça de consultar o seu médico se a paralisia do sono impedir que consiga uma boa noite de sono de forma rotineira.

 

William Blahd, MD
Especialista em Emergências Médicas
Universidade de Arizona, Estados Unidos

 

Fonte: https://www.webmd.com/sleep-disorders/guide/sleep-paralysis#1

voltar ao topo

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais