Menu

Ciencia.ao - Itens filtrados por data: setembro 2017

Programa da Conferência Científica da Universidade Agostinho Neto 2017

  • Publicado em Eventos

A Conferência Científica da Universidade Agostinho Neto (CCUAN2017), subordinada ao tema “Investigar para o desenvolvimento de Angola: Situação actual e desafios” realiza-se de 27 a 29 de Setembro de 2017 no hotel Victoria Garden, em Luanda.

A CCUAN2017 constitui um fórum bienal, inter e multidisciplinar, de partilha de conhecimento e de incentivo à cultura de investigação científica. Tem como objectivo divulgar os resultados da investigação científica e tecnológica realizada pelos docentes, investigadores, estudantes e colaboradores da UAN, bem como promover contactos e parcerias entre investigadores, e destes com a sociedade. 

O evento reflecte a necessidade de tornar público os principais resultados da investigação científica realizada pela Universidade Agostinho Neto (UAN), numa perspectiva de extensão e colaboração com a sociedade, na procura de soluções para os problemas locais. A UAN cria assim uma oportunidade de concentrar num só evento investigadores de múltiplas áreas da ciência, tecnologia e inovação. O programa inclui a apresentação de resultados de investigação científica (comunicação oral e poster), a organização de uma mesa redonda para debater os desafios da contribuição da investigação científica para o desenvolvimento de Angola e a realização de dois mini-cursos que visam incentivar a prática da investigação científica e a publicação dos resultados. 

Para permitir a divulgação dos resultados da investigação realizada em cada área do saber e suscitar o debate entre os participantes, a conferência estará estruturada em quatro painéis, a saber:

  • Painel 1 – Ciências Sociais e Humanidades;
  • Painel 2 – Ciências Naturais, Engenharias e Tecnologias;
  • Painel 3 – Ciências Médicas e da Saúde;
  • Painel 4 – Ciências Agrárias e Veterinárias.

Os resumos recebidos já foram avaliados pelos revisores e o programa da conferência será brevemente divulgado. Os trabalhos apresentados na CCUAN 2017, uma vez transformados em artigos científicos, poderão ser publicados na Revista Científica da UAN.

 

Como Participar?

A participação ao evento é condicionada à inscrição prévia e ao pagamento da taxa de inscrição. O comprovativo do pagamento da taxa de inscrição deverá ser anexado à ficha de inscrição. 

Taxa de inscrição ao evento:

  • 2.000,00 AKZ para estudantes da UAN;
  • 6.000,00 AKZ para docentes e investigadores da UAN;
  • 3.000,00 AKZ para estudantes de outras IES (Instituições de Ensino Superior);
  • 10.000,00 AKZ para docentes, investigadores e outros profissionais não pertencentes à UAN;

Os autores de trabalhos aceites pagam 50% da taxa de inscrição. 

 

Inscrições

As inscrições poderão ser feitas presencialmente no Campus Universitário, em Camama, no Gabinete de Informação Científica e Documentação (GICD), ou Online, através do Site da Conferência.

 

Programa

Clique aqui para baixar o programa detalhado do evento.

 

Mais informação 

Secretariado da Conferência

Coordenador – Professor Domingos Neves Margarida, PhD.

Correio electrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Coordenador Adjunto – Jesus Tomé, MSc.

Correio electrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Telefone: +244 922 975 710

 

E-mail: Conferência Científica UAN2017< Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. >

E-mail: Gabinete de Informação Científica e Documentação < Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. >

E-mail: Departamento de Informação Científica e Comunicação < Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. >

Portal: https://conferencias.uan.ao

 https://www.uan.ao/conferencia-cientifica-2017/

Ler mais ...

III Jornadas Científicas e Tecnológicas do ISPTEC 2017: Chamada de Resumos

  • Publicado em Eventos

Decorre até ao dia 6 de Outubro a chamada para apresentação de resumos para as III Jornadas Científicas e Tecnológicas do Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências (ISPTEC) – 2017, sob o lema: “A Investigação Científica como Factor Impulsionador do Desenvolvimento em Angola”, que se realizará de 8 a 10 de Novembro de 2017 nas instalações do ISPTEC.

As Jornadas Científicas e Tecnológicas do ISPTEC pretendem ser um fórum privilegiado para debater novas ideias e propor novas linhas estratégicas de investigação científica que possam ser desenvolvidas num cenário devidamente enquadrado com a realidade do território e da economia angolana. O lema desta 3ª edição das Jornadas Científicas e Tecnológicas do ISPTEC pretende realçar a importância que a investigação científica tem para o desenvolvimento da sociedade angolana.

 

Painéis

A actividade albergará dois painéis:

  • Painel das Engenharias e Tecnologias: A Investigação Científica nas Engenharias e Tecnologias como Factor Impulsionador do Desenvolvimento em Angola;
  • Painel das Ciências Sociais: A Investigação Científica nas Ciências Sociais como Factor Impulsionador do Desenvolvimento em Angola.

 

Destinatários

A actividade destina-se a toda comunidade académica do ISPTEC, à sociedade civil angolana e a todas as entidades que considerem o progresso científico fundamental para o desenvolvimento de Angola.

 

Os resumos deverão ser enviados para o correio electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até a data indicada acima. A informação sobre a aceitação dos trabalhos será transmitida aos autores até ao dia 13 de Outubro de 2017. Após a notificação de aceitação dos trabalhos, os artigos deverão ser enviados no mesmo correio electrónico até ao dia 27 de Outubro de 2017

 

Para mais informações clique aqui para ter acesso à brochura (PDF).

Ler mais ...

Chamada de Resumos para a 7ª Conferência do Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países de Língua Portuguesa – FORGES (Novas Datas)

  • Publicado em Eventos

A Associação Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa (FORGES) e a Universidade Eduardo Mondlane, com o apoio da Politécnica, Universidade UniZambeze, Instituto Superior de Relações Internacionais (ISRI) e Universidade Pedagógica, informam que estão abertas até o dia 4 de Outubro as inscrições para submissão de resumos para a 7ª Conferência FORGES subordinada ao tema “O papel do Ensino Superior para o Desenvolvimento dos Países de Língua Portuguesa”, que se realizará em Moçambique, Maputo, nos dias 29 e 30 de Novembro e 1 de Dezembro de 2017.

A Conferência tem o objectivo de enriquecer o conhecimento na partilha de experiências, permitindo estreitar os laços no que toca à cooperação universitária entre os países de Língua Portuguesa.

Existirão ao longo do evento painéis e sessões paralelas subordinadas aos subtemas:

  • Os Desafios da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa em Tempos de Austeridade: Experiências e Lições. Os desafios do Desenvolvimento. Qual o Papel das Instituições de Ensino Superior?
  • Expansão, Relevância, Qualidade e Empregabilidade dos Graduados do Ensino Superior dos Países e Regiões de Língua Portuguesa.
  • Os desafios do Desenvolvimento da Pesquisa e da base de conhecimento sobre o Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa Expansão, Relevância, Qualidade e Empregabilidade dos Graduados do Ensino Superior dos Países e Regiões de Língua Portuguesa.

 

Outras Datas:

  • Até 11 de Outubro: Notificação de Aceitação de comunicações
  • Até 20 de Outubro: Envio do texto final

 

Mais informação: http://www.aforges.org/7a-conferencia/

Ler mais ...

Bolsas de Estudo CPLP - 2017/2018

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) em parceria com a Universidade Lusófona (Portugal) informa que está aberta, até ao dia 22 de Setembro, a 2ª fase de candidaturas a bolsas de estudos para nacionais dos países da CPLP, sendo que, para Angola estão disponíveis 25 vagas.

 

Documentos a entregar

  • Autorização de Residência Temporária;
  • Recibo de pagamento de inscrição.

 

Mais Informação

Serviços de Acção Social da Universidade Lusófona 

Campo Grande, 376, 1749-023, Lisboa, Portugal.

Tel: +351 217 515 500

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

ou ainda nos links:

https://www.ulusofona.pt/noticias/bolsas-cplp

https://www.cplp.org/id-4616.aspx?Action=1&NewsId=5234&M=NewsV2&PID=11402

 

Ler mais ...

Caracterização da Cidadania em Angola

A questão da cidadania africana que tanto se fala é incipiente do ponto de vista universal, quando as infraestruturas sociais e técnicas não conseguem responder às necessidades dos cidadãos e a pobreza acompanhada das enfermidades que lhe são características, toma proporções incontroláveis. A introdução das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na actividade académica permitiu que a abordagem do tema que nos propomos trabalhar tivesse uma maior abrangência na participação dos interlocutores a vários níveis, tornando assim mais simples a acção de pesquisa e recolha de dados.

Dissertar sobre a cidadania em África surge como necessidade de estudar factos que têm sido ignorados por algumas academias para o estudo das ciências africanas. Entre estas lacunas identificamos o entendimento, o papel da cidade no ser africano, a defesa dos direitos civis e políticos na identificação da personalidade, aspectos e marcos sociais e económicos que contribuirão para a cidadania em África e em particular em Angola.

As cidades africanas ganharam um novo sentido na forma de participação dos cidadãos no desenvolvimento do continente, como sugere Milando (2005). A forma como as populações em África participam no seu próprio desenvolvimento tem sido controverso e ambíguo. As populações africanas e algumas comunidades da América Latina e Asiática cuja génese de estudo é referenciada em pobreza devido ao "seu sistema de valores", encaram a pobreza como uma condição natural para uns e, outros, como "uma predeterminação divina" (Milando, 2005).

Estabelecer um projecto filosófico para enquadrar a natureza da vida social das cidades africanas torna-se uma tarefa complexa porquanto elas estão marcadas por uma variedade de fenómenos culturais e processos sociais complexos. Marshall criou o conceito de cidadania social (Marshall, 1965), argumentando que a experiência ideal de cidadania implicava o acesso a direitos políticos, civis e sociais no seio do Estado. Alguns estudiosos defensores de ideologias feministas argumentam que o ensaio de Marshall reflecte apenas a perspectiva dos homens brancos da classe trabalhadora. Argumentavam ainda que a sua afirmação de que na Inglaterra todas as pessoas eram livres e tinham direitos civis iguais era falsa, uma vez que apenas os homens tinham alguma liberdade jurídica e capacidade de exercício de direitos políticos ou civis. Para Marshall, a cidadania social representava o fim da história da cidadania, ideia que não é partilhada por autores como Steenbergen (1994), Gunsteren (1998) e Habermas (1994), entre outros que defendem diferentes noções de cidadania. Encontramos assim a cidadania neorepublicana de Gunsteren, a cidadania europeia de Habermas e a cidadania ecológica de Steenbergen. Herman Van Gunsteren (1998) desenvolve uma teoria de cidadania adaptada a era de reforma política que foi inaugurada pelas revoluções de 1989. Este autor interrogou-se sobre se a cidadania requereria um consenso moral, ou se seria a habilidade de organizar as diferenças o factor que permite as pessoas viverem juntas como cidadãos numa república.

Assim, o objectivo deste trabalho foi de identificar o papel que a cidade exerce sobre o exercício de cidadania nas províncias de Angola, especificamente em Benguela e Luanda.

A cidadania tornou-se global, alargando o seu horizonte. Os seus preceitos estão em mudança há quarenta anos, fruto da democracia participativa, embora haja uma corrente que defende que a cidadania deva ser repensada (Ribeiro, 2010). A partir da análise das cidades de Benguela e Luanda, conclui-se que estas vivem uma experiência de cooperação com técnicos estrangeiros há 40 anos, uma parceria que se revelou inglória em determinados sectores fundamentalmente na área produtiva, agrária e industrial, porque os dirigentes do país não dominavam os princípios de direcção e gestão dos referidos sectores.

Um problema salta à vista quanto às debilidades políticas, sociais e económicas de África que coabitam com democracias frágeis, fruto da desorganização estrutural que tais Estados vivem. Denota-se uma falta de coragem em reverem os modelos de governo importados das academias ocidentais em que se formaram, os dirigentes africanos. Os países vivem o dilema da insatisfação social das populações por um lado, o aumento da pobreza e por outro, a estruturação de uma elite de ricos. Tal como Torres (1999) descreve, a roda fora inventada e abdica-se de ser reinventada, não é preciso inventar uma nova democracia, mas sim adequar os modelos existentes e de sucesso à realidade local, para uma Cidadania Africana. 

A necessidade de abstração do “Afropessimismo” (Torres, 1999), que do lado nativo nunca existiu, pois houve sempre a certeza que a barreira das clivagens políticas, tribais e étnicas seriam ultrapassadas e, a partir daí não se assume o afrocentrismo como estado de espírito, partindo do pressuposto que todo o plano estratégico de reconstrução dos Estados-nação no continente serão estruturados com calma.

 

Bibliografia

Bettencourt, Sandro. (2010). Em paz por terras de Angola. Lisboa, Edições Zebra.

Fontin, M. F. (2003). O processo de investigação da concepção e Realização. Loures/Lisboa: Editora Lusociência.

Milando, J. (2005). Cooperação sem Desenvolvimento . Viseu: Imprensa de Ciências Sociais.

Marshall, T. H. (1965)Citizenship and Social Class. Cambridge: Cambridge University Press.

Raposo, I.& Salvador C. (2007). Subúrbios de Luanda de Luanda e Maputo. Lisboa, Edições Colibri.

Ribeiro, I.P. F. (2010). Prática Pedagógica e Cidadania: uma interpretação crítica baseada na ideia da competência. Dissertação no Instituto de Educação da Universidade do Minho para a obtenção do grau de doutor.

Torres, C. A.Educando o cidadão Global – Cidadania, democracia e multiculturalismo. Disponível em www.eduglobalkcitizen.net.

 

 

Autora:

Rita Neto

Doutorada em Ciência Política, Cidadania e Relações Internacionais

Universidade Lusíada de Angola

E-mail:  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

* Este trabalho foi apresentado na 5ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, realizada em Luanda entre 26 e 28 de Abril de 2017.

Ler mais ...

Fumar Aumenta a Sensibilidade ao Stress

  • Publicado em Saúde

Sugere-se, geralmente, que a falta de nicotina produz stress, sendo que o uso do cigarro relaxa. Porém, um estudo realizado por investigadores do Laboratório de Neurociências Paris-Seine (CNRS/Inserm/UPMC) e do Instituto de Farmacologia Molecular e Celular (CNRS/Université de Nice Sophia Antipolis) concluiu que a exposição à nicotina aumenta a sensibilidade ao stress, contrariando a ideia popular da sensação de relaxamento transmitida pelo uso do cigarro. Usando dados comportamentais e electrofisiológicos, os investigadores avaliaram o impacto do stress social em ratos, bloqueando ou activando certos agentes moleculares: receptores de acetilcolina nicotínica. O estudo demonstrou que os sinais de stress social em ratos são suprimidos no primeiro caso (de bloqueio), mas aumentados no segundo caso (de activação), o que indica que esses receptores estão envolvidos nas vias fisiológicas, induzindo os efeitos do stress

Os investigadores também demonstraram que um rato exposto a agressão por um congénere mostra sinais de stress apenas no caso de ter sido exposto à nicotina de antemão. Este estudo, publicado no dia 25 de Julho na Revista Molecular Psychiatry, questiona o papel desses receptores de acetilcolina nicotínicos como elementos de controlo de stress. No futuro, os investigadores tentarão perceber se este estudo é generalizável a todos os transtornos de humor e se esses resultados podem ser aplicados aos humanos.

 

Mais informação, consulte: http://www.cnrs.fr/insb/recherche/parutions/articles2017/p-faure.html

Ler mais ...

Congresso Internacional em Humanidades Digitais – HDRio2018: Chamada para Artigos

  • Publicado em Eventos

 

A Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO, por meio do Laboratório de Preservação e Gestão de Acervos Digitais - LABOGAD e a Fundação Getúlio Vargas – FGV, por meio do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – CPDOC e do Laboratório de Humanidades Digitais - LHuD, organizam-se para a realização do Congresso Internacional em Humanidades Digitais – HDRio2018, que terá lugar na Cidade do Rio de Janeiro, no período de 9 a 13 de Abril de 2018.

O objectivo é trazer para a Cidade do Rio de Janeiro e inaugurar no Brasil um debate amplo e internacional sobre esse relevante e emergente campo transdisciplinar das humanidades digitais no mundo contemporâneo, convidando pensadores, investigadores e tecnólogos das Artes, da Cultura e das Ciências Sociais, Humanas, Exactas e Computacionais para discutir, entre outros temas, o impacto das tecnologias de informação, das redes de comunicação e da digitalização de acervos e processos na vida quotidiana dos indivíduos e os seus efeitos nas instituições e sociedades locais e globais, em especial, na realidade brasileira.

 

Eixos Temáticos

  1. Pensamentos Contemporâneos e Mundo Digital - Coordenador: Charles Feitosa (Escola de Filosofia/CCH/UNIRIO)
  2. Tecnologia, Cultura, Política e Sociedade - Coordenador: Eduardo Magrani (Direito-Rio/FGV)
  3. Acervos Digitais e Memória Social - Coordenadores: Ana Ligia Medeiros (CMI/Fundação Casa de Rui Barbosa), Aquiles Alencar Brayner (British Library) Jair Martins de Miranda (LABOGAD/CCH/UNIRIO)
  4. Representação do Conhecimento, Semântica e Dados Abertos - Coordenadores: Alexandre Rademaker (IBM, EMAp/FGV), Carlos Henrique Marcondes (PPGCI/UFF) & Cláudio José Silva Ribeiro (LABOGAD/CCH,DPTD/CCH/UNIRIO)
  5. Grandes Acervos de Dados Textuais nas Humanidades Digitais - Coordenadores: Cláudia Freitas (PUC/RJ) & Renato Rocha Souza (EMAp/FGV)
  6. Artes e Expressões Digitais - Coordenadores: Luisa Guimarães (UERJ, MediaArt) & Erick Filinto (PPGCS/UERJ)
  7. Visualização, Sonificação e Análise de Dados - Coordenadores: Daniel Alves (FCSH/Universidade Nova de Lisboa) & Luis Ferla (Dep. História/Unifesp)
  8. Humanidades Digitais e Realidade Brasileira - Coords.: Ricardo M. Pimenta (IBICT; PPGCI/IBICT-UFRJ) & Bruno Leal (UFF; IH/UFRJ; Café História)

 

Datas

  • Submissão dos resumos expandidos: 10 de Setembro a 10 de Novembro de 2017
  • Submissão de propostas de tutoriais/workshops: 10 de Setembro a 10 de Novembro de 2017
  • Divulgação de resultados: 10 de Dezembro de 2017
  • Inscrições: 10 de Dezembro de 2017 a 8 de Abril de 2018
  • Evento HDRio2018: 9 a 13 de Abril de 2018
  • Submissão de texto completo para anais: 31 de Maio de 2018

Mais informações em: 

https://eventos.fgv.br/hdrio2018

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais