Menu

Ciencia.ao - Itens filtrados por data: dezembro 2018

MESCTI Actualiza o Quadro Legal das Instituições de Ensino Superior Privadas

ANÚNCIO PÚBLICO

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação tem vindo a desenvolver um árduo trabalho com as Instituições de Ensino Superior Privadas que, tendo apenas Decreto Presidencial de criação da Instituição, admitiram estudantes de forma ilegal.

Concluído este processo, após a avaliação documental positiva dos projectos pedagógicos e a realização de vistorias técnicas para aferir as condições técnico-pedagógicas e infraestruturais em que estão a ser ministrados os cursos com vista a produzir os Decretos Executivos dos cursos aprovados, tendo em conta que o período de inscrições para o Ano Académico 2019 terá o seu início no dia 2 de Janeiro de 2019, o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação torna público o Quadro Actual das Instituições de Ensino Superior Privadas e respectivos Cursos de Graduação que se encontram em situação legal.  

As "instituições" e os "cursos" que não constam deste quadro apresentado são ilegais, pelo que todos os actos praticados e os benefícios concedidos, bem como todos os títulos académicos outorgados pelas mesmas, são inválidos e sem quaisquer efeitos académicos, nos termos do Artigo 122º da Lei de Bases do Sistema de Educação e Ensino (Lei Nº 17/16, de 07 de Outubro).

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação informa que todas as Instituições de Ensino Superior Privadas são obrigadas a divulgar nas vitrinas o Decreto Presidencial que cria a Instituição e os Decretos Executivos que criam os cursos, ambos publicados em Diário da República.

Para ter acesso ao referido Quadro legal das Instituições de Ensino Superior Privadas, clique aqui.

 

Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, em Luanda, aos 27 de Dezembro de 2018.

Ler mais ...

Já é possível medir a massa de objectos nanométricos com recurso a nano-balança

Uma equipa de investigadores franceses desenvolveu uma nova tecnologia de espectrometria de massa baseada em ressonadores nano mecânicos, capaz de medir a massa de partículas anteriormente inacessíveis a tecnologias existentes. Se se pode medir a massa de um camião ou de um átomo, os investigadores até agora não dispunham de ferramentas para pesar alguns nano-objectos pertencentes a intervalos de massa intermediários entre esses dois extremos. A equipa do CEA, do CNRS, da Inserm e das universidades de Grenoble-Alpes e de Paris-Sud demonstraram a eficácia da nano-balança, medindo a massa do capsídeo de um vírus bacteriófago. 

As tecnologias actuais de medição de massa podem pesar um camião de várias toneladas ou um átomo de hidrogénio, mas existe um vazio técnico para toda uma gama de massas intermediárias, especialmente no campo dos objectos nanométricos onde a maioria dos vírus são encontrados, alguns biomarcadores de patologias como o câncer ou as doenças degenerativas, ou ainda algumas nano partículas sintéticas para fins biomédicos.

Os investigadores queriam preencher esse vazio desenvolvendo um sistema de três estágios: nebulização das espécies em solução, focalização do feixe de partículas e medir a massa dessas partículas por uma rede de nano resonadores mecânicos.

Com este novo sistema, a equipa conseguiu medir a massa de um capsídeo de vírus, a do Fago T5 (100 megadaltons). Este vírus assassino de bactérias representa os bacteriófagos, que são considerados como uma alternativa promissora às terapias antibióticas convencionais. A sua composição molecular e a sua massa teórica são conhecidas, mas era impossível medir a sua massa com precisão. Este sistema pode, portanto, responder a essa necessidade, com eficácia de um milhão de vezes mais em comparação com os sistemas nano mecânicos existentes.

 

Para mais informação: http://www2.cnrs.fr/sites/communique/fichier/communique_nanobalances.pdf

Ler mais ...

O que Impede os Jovens Cientistas Africanos de Atingir o seu Potencial?

Um estudo publicado no Jornal El País revela que cerca de 20 000 profissionais altamente qualificados deixam o continente africano todos os anos, e entre eles há 30% de cientistas africanos. Os jovens cientistas africanos enfrentam barreiras constantes que os levam a deixar os seus próprios países e até mesmo o mundo académico. Por essa razão, o continente perde trabalhadores altamente qualificados, que são de fundamental importância para o avanço científico e tecnológico, bem como, para o desenvolvimento económico.

De acordo com o estudo, essa tendência é causada por vários factores, como a guerra e a instabilidade política dos países africanos. No entanto, o factor mais comum para o êxodo é o desejo de um melhor rendimento e melhores oportunidades, assim como a busca de um ambiente favorável à investigação científica que ajudem a impulsionar as trajectórias profissionais e o potencial de investigação.

Com vista a dar uma resposta ao problema, a Global Young Academy (GYA, Academia Global de Jovens), uma organização composta por 200 jovens cientistas talentosos e mais de 200 graduados de 83 países, desenvolveu um projecto denominado Global State of Young Scientists (GloSYS, Estado Global de Jovens Cientistas). Em colaboração com parceiros de investigação científica locais e especialistas internacionais em ensino superior, o projecto visa identificar os desafios e as motivações que determinam as carreiras profissionais de jovens cientistas.

A partir dos resultados preliminares do estudo – obtidos graças às respostas dadas pelos mais de 700 jovens cientistas – foi possível concluir que, apesar das suas diferentes formações de origem, os jovens investigadores têm muito em comum. Entre as principais razões pelas quais os jovens não seguem uma carreira profissional no mundo académico, está a falta de tutoria, de infra-estruturas, de recursos humanos e materiais, e de financiamento. Também se destaca um forte desejo de adquirir uma melhor formação, sob financiamento e habilidades profissionais.

Este é o terceiro estudo realizado no âmbito da Global State of Young Scientists. O primeiro consistiu num estudo internacional de jovens cientistas de 14 países dos cinco continentes, enquanto o segundo foi um estudo regional centrado em quatro países do sudeste asiático.

 

Treinar os Jovens para a Liderança

Um grande desafio identificado nos estudos foi a necessidade de treinar os jovens para liderança. Quando jovens cientistas formaram os seus próprios grupos de investigação científica, eles começaram a necessitar de ferramentas para enfrentar os desafios de integração da investigação científica, do ensino e da arrecadação de fundos. Em resposta, os membros da Global Young Academy desenvolveram e implementaram programas de liderança em áreas científicas em África e na Ásia, trabalhando com a Know Innovation e a Future Africa.

A obtenção dessas novas habilidades levou os jovens cientistas a desenvolverem-se profissionalmente no mundo académico. Os participantes consideraram, por exemplo, que os programas de liderança em ciências estão entre os workshops mais significativos em que participaram ao longo da sua carreira.

 

Passar das barreiras para acção

Uma vez que os desafios comuns foram identificados, a equipa do Global State of Young Scientists Africa pretende começar a trabalhar com os formuladores de políticas de África, bem como com agências de financiamento internacionais para implementar iniciativas baseadas em testes que abordam esses desafios.

Espera-se que o projecto Global State of Young Scientists Africa revele novas áreas de actuação, de modo que o mundo académico possa implementar programas inovadores, colaborando com os formuladores de políticas sobre ciência e educação, a fim de promover o futuro de jovens cientistas africanos. 

 

Autores:

Marie Luise Neumann, Mestre em Sociologia pela Universidade Washington, Investigadora do Projeto GloSYS para a Global Young Academy.

Hsin-Chou Yang, Doutorado em Filosofia pela Universidade Nacional Tsing Hua, Professor e Investigador do Instituto de Ciência Estatística da Academia Sinica, em Taiwan.

 

Fonte: https://theconversation.com/whats-stopping-young-african-scientists-from-achieving-their-potential-97404

 

Ler mais ...

Oportunidade: Bolsas para o Curso de Diplomacia da Ciência

O Sistema de Pesquisa e Informação para Países em Desenvolvimento (RIS) e o Programa de Cooperação Técnica e Económica do Ministério das Relações Exteriores  da Índia (ITEC) informam que estão abertas, até o dia 7 de Dezembro de 2018, as candidaturas a bolsas de Estudo para o curso de Diplomacia da Ciência, que se realizará de 7 a 18 de Janeiro de 2019, na cidade de Nova Deli, Índia.

O curso destina-se a participantes interessados em questões relacionadas com a Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) e com a Cooperação Sul-Sul. O curso  tem como objectivo familiarizar os participantes sobre o papel e a importância da Diplomacia Científica nas relações internacionais, os benefícios da diplomacia de Ciência e Tecnologia (C&T) e o seu papel em estimular a capacidade de C&T nos seus respectivos países ao lidar com instituições parceiras a nível regional e multilateral, bem como organizações internacionais, incluindo a ONU e outras agências internacionais.

O curso inclui um momento de interacção com professores especialistas, estudos de caso, discussões em grupo e visitas de campo. O material didáctico e bibliográfico serão fornecidos aos participantes pelo RIS. 

Serão abordados os seguintes temas no curso:

  • Conceito e Contornos da Diplomacia Científica;
  • Modalidades da Diplomacia Científica nas Relações Bilaterais, Regionais e a Nível Multilateral;
  • Ciência, Tecnologia e Inovação: Desafios do Desenvolvimento e o Papel da Diplomacia Científica;
  • Comércio, Investimento e Tecnologia;
  • Cooperação Sul-Sul e Diplomacia Científica.

 

Subsídios

A Bolsa de Estudo cobre o bilhete de passagem, alojamento, subsídio de subsistência, subsídio para aquisição de material didáctico, etc., de acordo com as regras do Programa ITEC / SCAAP do Ministério das Relações Exteriores do Governo da Índia. Mais detalhes podem ser vistos no site do ITEC: www.itec.mea.gov.in

 

Inscrição

Os candidatos interessados deverão fazer a sua inscrição on-line no seguinte link: https://www.itecgoi.in/courses_list.phpsalt3=b2e5a3381a20182019&salt4=5101b375a237&salt=be20d13fcb99, e enviar o formulário devidamente preenchido às Embaixadas da Índia nos seus respectivos países.

 

Destinatários

Os membros da sociedade civil, comunidade diplomática, investigadores, media, académicos e funcionários públicos envolvidos em temas relacionados com a ciência, tecnologia e inovação (CTI) que lidam com as relações exteriores ou gestores de projectos internacionais em CTI são elegíveis para participar no curso.

 

Mais informação: https://www.itecgoi.in/courses_list.php?salt3=b2e5a3381a2018-2019&salt4=5101b375a237&salt=be20d13fcb99

 

 

Ler mais ...

Prorrogação: Bolsas de Estudo para Mestrado em Engenharia de Petróleo na Noruega

 

A Aker Solutions Enterprises Lda. (AKSEL) e a Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU) em colaboração com a Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto (UAN), informam que estão abertas as candidaturas a 05 (cinco) bolsas de estudo para Mestrado em Engenharia de Petróleo através do Programa AKSEL Academy (Iniciativa Angolano-Norueguesa para o Ensino Superior).

O objetivo do Programa AKSEL Academy é contribuir para o fortalecimento do ambiente acadêmico da UAN e aumentar a oferta de Engenheiros qualificados para atender a demanda da indústria de petróleo em Angola.

O curso de Mestrado em Engenharia de Petróleo terá duração de 24 (vinte e quatro) meses, será leccionado por docentes da NTNU, ministrado integralmente na Língua Inglesa na cidade de Trondheim, Noruega e terá início em Agosto de 2019.

Aos que concluírem o curso será concedido o título de MASTER OF SCIENCE IN PETROLEUM ENGINEERING pela Norwegian University of Science and Technology e deverão comprometer-se a retornar a Angola por pelo menos 2 (dois) anos a fim de integrar o corpo docente da Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto.

O presente programa de bolsas de estudo está destinado aos candidatos que atendam os pré- requisitos relacionados abaixo:

  • Ter nacionalidade Angolana com residência permanente no País;
  • Ter idade não superior a 35 (trinta e cinco) anos;
  • Ser licenciado em Engenharia com grau outorgado em 2017 ou anos anteriores pela
    Universidade Agostinho Neto;
  • Proficiência na Língua Inglesa a nível intermediário (a ser avaliado por escola credenciada);
    Ter média igual ou superior a 14 valores nas disciplinas de Matemática (Cálculo I, II, III) e
    Estatística;
  • Disponibilidade para frequentar o curso de inglês preparatório obrigatório para o Exame TOEFL
    (Test of English as a Foreign Language aplicado via internet) para os candidatos que forem
    seleccionados na 3a fase do processo de selecção;
  • Atingir a nota mínima de 90 pontos, exigida pela Universidade Norueguesa de Ciência e
    Tecnologia no exame TOEFL aplicado na 4a fase do processo de selecção.

O formulário de inscrição e o Edital detalhado deverão ser retirados no Departamento de Investigação Científica e Pós-Graduação da Faculdade de Engenharia da UAN, sito na Avenida 21 de Janeiro, em Luanda no período de 7 a 10 de Dezembro de 2018 no horário das 10:00 às 17:00 horas. O formulário poderá ser baixado clicando aqui.

Os formulários de inscrição preenchidos e os documentos exigidos deverão ser devolvidos no Departamento de Investigação Científica e Pós-Graduação da Faculdade de Engenharia da UAN na seguinte data e horário:

12 de Dezembro de 2018 das 09:00 às 11:00 horas

Para efeitos de candidatura serão exigidos os seguintes documentos:

  • Formulário de Inscrição preenchido;
  • Cópia legível do diploma de licenciatura em Engenharia pela Universidade Agostinho Neto;
  • Cópia legível do Certificado de Habilitações ou declaração com notas discriminadas do
    curso de Engenharia emitido pela Direção dos Assuntos Académicos da Universidade
    Agostinho Neto;
  • Cópia legível do Bilhete de Identidade de Cidadão Nacional;
    Atestado de residência;
  • Registo criminal autenticado pelo MIREX;
  • 1 fotografia colorida recente em formato tipo passe (passaporte) 4,5cm x 3,5cm;
  • Cópia legível da 1a, 2a e 3a páginas do passaporte com validade mínima de 3 (três) anos;
  • 02 Cartas de recomendação com informações de contacto da pessoa de referência;
  • Cópia legível do Cartão de Vacinas Internacional.

A selecção dos candidatos que atendam os pré-requisitos e que apresentem toda a documentação exigida será realizada pela comissão de selecção composta por membros da AKSEL, da UAN e da NTNU.

O processo de selecção será realizado em 4 fases, de carácter eliminatório e classificatório, que consistirá em:

1ª Fase Análise dos Formulários de Inscrição e documentos 13 de Dezembro de 2018
2ª Fase Teste de nível de proficiência em Inglês

Janeiro de 2019 (data a ser definida)

3ª Fase Entrevistas individuais em Português e Inglês Janeiro de 2019 (data a ser definida)
4ª Fase Exame TOEFL* Maio de 2019 (data a ser definida)

*O Programa AKSEL Academy oferecerá um curso intensivo de Inglês obrigatório de 14 de Janeiro à 06 de Maio de 2019 aos candidatos que forem seleccionados na 3ª Fase do processo de selecção.

 

O valor da Bolsa de Estudo de Mestrado inclui ajuda de custo para alimentação e acomodação. Passagem aérea e seguro de viagem serão custeados pelo programa AKSEL Academy durante a duração do Mestrado.

O resultado final do processo de selecção será publicado em Maio de 2019 no Jornal de Angola (data a ser definida).

Contatos através do email:
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Para baixar o Edital em PDF, clique aqui.

O formulário poderá ser baixado clicando aqui.

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais