Menu

Ciencia.ao - Portal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Angola - Itens filtrados por data: maio 2017

Chamada de Candidaturas aos Prémios "L'Oréal-UNESCO For Women in Science", Edição 2018

 

Estão abertas até ao dia 16 de Junho as candidaturas para os prémios do Programa Internacional “L'Oréal-UNESCO For Women in Science”. 

Nesta edição de 2018 serão designadas cinco (5) cientistas destacadas no ramo das Ciências da Vida, das seguintes regiões: África e Estados Árabes, Ásia-Pacífico, Europa, América Latina e América do Norte.

 

Montante

Cada uma das vencedoras ao prémio receberá um montante de 100 000 Euros.

 

Critérios de Selecção

Para ser seleccionada a candidata deve:

  • Ser reconhecida pela sua excelência científica ao nível da comunidade científica internacional;
  • Estar activamente envolvida na investigação científica;
  • Estar envolvida em qualquer campo das Ciências da Vida;
  • Não estar directa ou pessoalmente envolvida no programa “L'Oréal-UNESCOFor Women in Science”, como membro do júri ou de outra forma, em qualquer país.

 

Nomeações

Para a candidatura ser considerada elegível ao prémio, as candidatas devem ser nomeadas por escrito por um cientista eminente. As nomeações só podem ser enviadas electronicamente através do site http://www.forwomeninscience.com/pt/awards.

 

Mais informação

Para mais informação, clique aqui para fazer o download do pdf.

Ler mais ...

Desenvolvimento e Caracterização de um Sistema Eólico de Bombeio de Água

 

O presente trabalho foi realizado nos laboratórios profissionalizantes do Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências (ISPTEC). Foi desenvolvido um protótipo de turbina eólica, para bombear água, em especial em zonas rurais. Foi desenhado e construído um túnel de vento e uma bomba de água alternativa, do tipo pistão, ligada à turbina. A partir desta instalação foram realizados ensaios experimentais das velocidades de rotação, potência da turbina eólica e capacidade de bombear água, para diferentes números de pás, com três ângulos de ataque diferentes e modificando a velocidade do vento.

A importância do trabalho assenta nas potencialidades desta tecnologia, que funciona com baixas velocidades do vento (2.3 m/s no mínimo), e que pode ajudar a resolver as necessidades de fornecimento de água para consumo humano, animal e agricultura. Trata-se de uma tecnologia já estabelecida a nível mundial, em constante desenvolvimento e optimização, que pode substituir o uso de combustíveis fosseis, sendo ela renovável e de custos acessíveis, permitindo diminuir os preços da sua comercialização de forma progressiva. Embora exista uma grande variedade de modelos de turbinas eólicas, o trabalho desenvolvido teve por base um modelo acessível para as condições de Angola. Pretende-se desta forma contribuir para a resolução dos problemas associados ao meio ambiente, sociais e económicos, bem como contribuir para a desmistificação desta tecnologia e a sua divulgação em Angola.

A energia eólica em conjunto com as demais energias renováveis são além da solução global a longo prazo das necessidades energéticas e da conservação do meio ambiente, uma contribuição significativa para:

  1. Solução das necessidades energéticas das populações rurais, de maneira sustentável;
  2. Fixar as populações nos seus lugares de origem e consequentemente diminuir a imigração do campo para as cidades;
  3. Diminuir a diferença de desenvolvimento entre as cidades e as áreas rurais;
  4. Diminuir a pobreza absoluta e melhorar a qualidade de vida das populações, em especial em áreas rurais.

Esta tecnologia, nas suas múltiplas versões, teve um desenvolvimento acelerado no final do século XIX e princípios do século XX, nos Estados Unidos da América (EUA), sendo uma tecnologia que em muito ajudou no desenvolvimento do oeste norte-americano. A popularização do petróleo e a electrificação de áreas rurais estagnou o desenvolvimento da tecnologia nos EUA, sendo no entanto ainda muito popular em áreas rurais das Américas. A consciência sobre o esgotamento dos combustíveis fosseis, junto à necessidade de diminuição da contaminação ambiental e do desenvolvimento sustentável levaram ao retomar do desenvolvimento destas tecnologias, com novos modelos e patentes.    

 Assim, os objectivos do trabalho foram os seguintes:

  1. Demonstrar a potencialidade de utilização da energia eólica para bombeio de água em Angola;
  2. Desenvolver um modelo de turbina eólica própria para o bombeio de água que se ajuste as condições de Angola;
  3. Caracterizar o modelo desde o ponto de vista da velocidade mínima de arranque, torque de arranque, velocidade específica e eficiência.

Durante o processo de investigação foram modificadas as variáveis seguintes: Número de pás (3, 6, 12 e 24), o Ângulo de ataque (30º, 45º e 60º), a velocidade do vento (0 – 7 m/s). As variáveis dependentes controladas foram: Velocidade do vento mínima de arranque, o torque ao freio, a velocidade de rotação da turbina e a velocidade específica e a capacidade de bombeio de água por meio de uma bomba de pistão.

Foram feitos testes com a turbina livre de carga e com a turbina ligada ao sistema de bombeio. Os resultados coincidem com as hipóteses prévias onde se supõe que os resultados mais convenientes para as condições de baixas velocidades do vento de Angola são o maior número de pás possíveis, altos ângulos de ataques. Dos ângulos analisados, 60º foi o ângulo que levou aos melhores resultados. Quando falamos de bons resultados nos referimos a baixas velocidades de arranque, maiores velocidades específicas (velocidade tangencial da ponta das pás / velocidade do vento) e maiores torques de arranque.

Com a realização deste trabalho chegou-se às seguintes conclusões:

  1. É possível desenvolver a tecnologia de bombeamento eólico em Angola;
  2. Com um maior número de pás, o arranque ocorre a menor velocidade;
  3. O ângulo de ataque de 60º foi o que levou aos melhores resultados, isso se explica porque em este tipo de turbina a força motriz determinante e a força de arrastro.
  4. A bomba de pistão manteve uma eficiência bastante estável em toda a faixa de testes, o que é próprio deste tipo de bomba;
  5. Deve-se aperfeiçoar a transmissão de força da turbina à bomba.

Contudo, recomendamos que se continue a aprofundar o estudo da tecnologia e a trabalhar em projectos reais a serem aplicados em áreas rurais de Angola.

 

Autores

Eduardo Rivero San Martin1 e Jorge França2

1- Ph.D. Energia Renováveis (BIU)

Linha de investigação: Tecnologias para energias renováveis.

Instituto Superior Politécnico de Tecnologia e Ciências (ISPTEC)

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Telemóvel: 948562721

 

* Este trabalho foi apresentado na 5ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, realizada em Luanda entre 26 e 28 de Abril de 2017.

 

Ler mais ...

Anúncio de Vagas - SADC

O Secretariado da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral informa a todos os cidadãos da região da SADC, devidamente qualificados e com experiência, que tem ao seu dispor 43 postos de trabalho na sua Sede, em Gaborone, Botswana. 

O Secretariado da SADC oferece um pacote salarial competitivo para todos os cargos, que varia entre os 68 726 USD e 90 828 USD por ano, conforme as categorias (Documento em anexo). 

As candidaturas devem ser submetidas ao Ponto de Contacto Nacional da SADC nos respectivos países, até ao dia 31 de Maio de 2017

 

Para mais detalhes sobre o posto para o qual deseja candidatar-se, o perfil do posto e obter a Ficha de Candidatura da SADC, queira consultar o Website da SADC: http://www.sadc.int/opportunities/employment/vacancy-announcement-forty-three-positions-sadc-secretariat/ Ou clique aqui para fazer o download do PDF.

Ler mais ...

UAN Realiza Curso de Elaboração de Projectos de Investigação e Desenvolvimento (CEPID)

O Centro de Estudos de Apoio à Formação, Investigação e Extensão (CEAFIE) da Universidade Agostinho Neto (UAN) realiza de 29 de Maio a 09 de Junho a 1ª edição do ano de 2017, o Curso de Elaboração de Projectos de Investigação e Desenvolvimento (CEPID). 

Estão habilitados a frequentar o Curso todos os docentes e técnicos superiores da Universidade Agostinho Neto mediante o pagamento constante na tabela de taxas e emolumentos, que vigora na UAN desde o ano lectivo 2009, e quadros de outras instituições mediante o pagamento de uma taxa.

Para efectuar as inscrições são exigidos os seguintes documentos:

  • Fotocópia do B.I.;
  • Ficha de inscrição devidamente preenchida, no caso de formandos da UAN, deverá ser assinada pela direcção da Unidade Orgânica que autoriza a frequentar o Curso e que será entregue no acto da matrícula;
  • Fotocópia de conclusão de licenciatura (Diploma ou Certificado).

Obs: Os documentos constantes nos pontos 1 e 3 deverão ser apresentados no primeiro dia de aulas e são de carácter obrigatório. 

Informamos ainda que:

  • A coordenação do Curso está a cargo do Dr. Felipe Silva Miranda (924773731);
  • Deve ser apresentado o esboço ou resumo do projecto de investigação e desenvolvimento que o candidato pretenda levar a cabo, enquadrado numa das linhas de investigação do Departamento da Unidade Orgânica com os seguintes elementos: autor, instituição, título, fundamentação, pertinência, objectivos, linhas de investigação e referências bibliográficas;
  • As aulas decorrerão de 2ª a 6ª feira;
  • Os candidatos devem dominar a utilização da informática na óptica do utilizador: processador de texto, folha de cálculo; elaboração de apresentações, navegação na internet e utilização de correio electrónico), pelo que devem possuir um computador portátil.
  • Os candidatos não pertencentes à Universidade Agostinho Neto, que queiram frequentar o Curso, deverão assinar no acto da matrícula o respectivo contrato.
  • As aulas decorrerão no Laboratório de Apoio a Investigação e Orientação Vocacional (LAIOV) do CEAFIE, das 16:00 às 20:00 horas com uma carga programática de 48 horas lectivas incluindo as defesas dos projectos que terão lugar nos dias a indicar. 
  • Informamos ainda que o número de vagas disponíveis para o curso é de 30 participantes, pelo que, é oportuno efectuar a matrícula o mais cedo possível.
  • As matrículas serão efectuadas de 08 a 26 de Maio nas instalações do Campus Universitário do Camama, Bloco de Física, das 09:00 até 15:00 horas, ou através do seguinte endereço electrónico: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. / Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.  

As informações adicionais podem ser obtidas através dos contactos telefónicos: 922235386 / 927243378.

Ler mais ...

Comércio Ilegal de Medicamentos: Desvendando Mitos e Conhecendo Realidades

 

O fenómeno do comércio ilegal e a adulteração de medicamentos têm crescido nos últimos anos, porque os seus métodos são cada vez mais sofisticados, e pelo aumento do comércio internacional de produtos farmacêuticos. Além das vendas através da Internet que têm facilitado a entrada de produtos falsificados na cadeia de fornecimento do medicamento.

A problemática dos medicamentos falsificados afecta principalmente os países em desenvolvimento, condicionada por factores sociais, económicos e políticos que influenciam a baixa disponibilidade de medicamentos seguros, eficazes e de qualidade. Embora seja difícil obter números precisos relativos à ilegalidade desta prática, os dados estatísticos fornecidos pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) são fortes. Nos países desenvolvidos, cerca de 10% dos medicamentos que circulam são adulterados, enquanto esse número chega a 30% nos países em desenvolvimento. Em alguns países, esse percentual chegaria até 50%. Neste contexto, em 2006, a OMS criou uma aliança global de organizações interessadas no assunto, a que chamou IMPACT (International Medical Products Anti-Counterfeiting Taskforce).

As organizações nacionais e internacionais trabalham coordenadamente para conseguir diminuir o consumo ilegal de medicamentos, no entanto, o fenómeno continua a ser foco de preocupação social, assim como no âmbito sanitário. Resolver a problemática passa, em primeiro lugar, por conhecer as origens do fenómeno, e, em consequência, por agir em termos de educação no uso racional do medicamento, e esta é sem dúvidas uma das principais funções dos farmacêuticos na sociedade.

 

O que é um medicamento?

Definimos um medicamento como um produto que ajuda a restaurar a saúde, portanto, ele colabora na criação do bem-estar individual e colectivo.

No entanto, o medicamento é um outro produto numa economia de mercado livre e, por conseguinte, sujeito às mesmas leis. Portanto, um medicamento é também reconhecido como um bem de consumo, e isso aporta uma série de características na presença de um fornecimento farmacêutico:

  • Um grande número de medicamentos com a mesma composição é comercializado por diferentes laboratórios sob diferentes nomes comerciais, tratando-se na verdade dos mesmos medicamentos.
  • Especialidades farmacêuticas compostas por combinações de fármacos que não têm benefícios terapêuticos.
  • Fármacos cuja eficácia não tem sido absolutamente provada e, em alguns casos, as associações de produtos que se podem tornar prejudiciais para a saúde. 
  • Grupos de fármacos com pequenas variações na composição e/ou na dosagem têm sido comercializados com o duvidoso objectivo de oferecer uma nova escolha de especialidade farmacêutica.

 

Características do sistema de saúde que favorecem o consumo de medicamentos

Medicamento: necessidade ou convite? Será que o medicamento por si, além de ser um bem de consumo, se pode tornar num artigo com grandes vendas, e até um objecto que pode ser usado para o lucro?

O medicamento é parte do nosso sistema, é um produto que nós usamos para resolver problemas de saúde. No entanto, o sistema de saúde tem características que favorecem o consumo de medicamentos.

  • A base da maioria dos sistemas sanitários está na cura da doença, mais do que em procurar a causa da perda de saúde. Uma boa política de prevenção de doença levaria a uma diminuição dos processos patológicos agudos e crónicos e, em resumo, a um menor consumo de medicamentos.
  • Em segundo lugar, uma estrutura de assistência médica primária que leva a substituir uma visita médica pela prescrição exagerada de medicamentos como um meio para satisfazer a demanda de atenção médica.
  • Outro aspecto importante é ter em conta a existência de uma promoção comercial que a indústria farmacêutica realiza aos diferentes níveis (médico, farmacêutico, público em geral) e conjuntamente com isso, a falta de fontes de informação objectivas sobre os medicamentos, e o baixo nível de educação sanitária geral.

Tudo isso leva a uma falta de rigor na prescrição de medicamentos e falta de rigor na dispensa dos mesmos, e a uma pressão na demanda por parte dos usuários, dos clientes e dos utentes que, frequentemente, acreditam que a solução para todos os problemas de saúde consiste em tomar medicamentos. 

Como resultado dos três pontos acima mencionados, o medicamento adquire muito frequentemente as características típicas de um bem de consumo na mentalidade da população.

A qualidade e a eficácia do medicamento ligam-se ao preço (obviamente eles não estão relacionados), e há uma convicção generalizada de que o tratamento prioritário para qualquer doença é tomar medicamentos. De facto, muitas doenças são melhor resolvidas com a higiene, com medidas dietéticas, e não com uso de medicamentos.

Chegados a este ponto, cabe destacar o papel dos farmacêuticos como assessores do processo de uso racional dos medicamentos pelas populações, ajudando-as a entender os benefícios, mas também os perigos do uso irracional dos mesmos. Numerosas acções educativas poderiam ser realizadas ao nível das comunidades, como por exemplo, mostrar à população as falsificações mais frequentes das quais poderiam ser vítimas, nomeadamente: medicamentos com ausência total do ingrediente activo indicado na embalagem, dosagem incorrecta do ingrediente activo, substituição por um ingrediente activo diferente, presença de impurezas ou de substâncias tóxicas no medicamento, tais como revestimentos industriais, talco, giz ou ceras, e inclusão de embalagens ou documentos falsos.

O uso de medicamentos falsificados ou adulterados gera outros problemas de saúde, tais como acelerar o surgimento de micróbios resistentes, perda de confiança dos doentes nos medicamentos, entre outros efeitos com impacto no país.

Precisamos, obviamente, garantir o fornecimento de medicamentos em resposta às necessidades de saúde da população, no entanto, esses esforços para garantir mais e melhores medicamentos devem ser acompanhados pela informação oportuna e aconselhamento do único profissional que, pela sua formação é o especialista em medicamentos, o farmacêutico. Porque o medicamento, nunca melhor dito, é uma faca de dois gumes. 

Perante qualquer dúvida ou necessidade relacionada com os medicamentos, não hesite, consulte sempre o seu farmacêutico.

  

 

Dra. Alina M. Sánchez, BScPharm, MScEduc, PhD

Docente, gestora e pesquisadora em Farmácia

Farmacêutica de Oficina de Farmácia

Coordenadora do Projecto de Desenvolvimento Profissional Continuo para Farmacêuticos Africanos de Expressão Portuguesa (CPD/FAEP)

Universidad de Castilla-La Mancha

Espanha

https://es.linkedin.com/in/alinamsanchez

 

Ler mais ...

Candidaturas ao Curso de Modelação e Aplicação de Modelos na Gestão da Zona Costeira e Marinha

O curso de Modelação e Aplicação de Modelos na Gestão da Zona Costeira e Marinha providencia uma visão geral do Sistema Regional de Modelação Oceânica (ROMS) e suas aplicações em processos biofísicos marinhos e costeiros. O estudo focalizar-se-á no upwelling (afloramento) costeiro, cobrindo desde a plataforma até ao talude continental, e em sistemas de baías. E tem uma forte componente de gestão de dados oceanográficos que consiste no uso de dados oceanográficos de fontes abertas (NACEP, COADS, WOCE, ARGO) para calibração e validação do modelo e na gestão de enormes volumes de dados gerados pelo modelo. 

 

Objetivos 

  • Estabelecer e executar um modelo hidrodinâmico tridimensional simples utilizando ROMS, com a ajuda de dados oceanográficos de acesso livre e gratuito (NACEP, COADS, WOCE, ARGO) para calibração e validação do modelo;
  • Anexar sub-rotinas para o rastreamento de partículas para simular a dispersão de poluentes e transporte de sedimentos;
  • Extrair e processar dados gerados pelo modelo usando os programas Matlab e Ocean data View.

 

Tópicos

  • Introdução à geração de redes e interpolação de batimetria;
  • Estabelecimento de condições de fronteira;
  • Calibração e validação do modelo utilizando dados oceanográficos de fonte aberta (NACEP, COADS, WOCE, ARGO) e dados colhidos no terreno;
  • Modelação da hidrodinâmica, temperatura e salinidade;
  • Sub-rotina de seguimento de partículas flutuantes;
  • Criação e funcionamento de uma simulação de dispersão poluentes, sedimentos, oxigénio e nutrientes;
  • Introdução ao processamento pós-modelação – aplicação de Ocean Data View e Matlab para processamento de dados gerados pelo modelo.

 

Público-alvo

  • Gestores de dados oceanográficos 
  • Staff de NODCs e/ou AUDs
  • Gestores de zonas costeiras 
  • Oceanógrafos e biólogos marinhos (incluindo estudantes do Ensino Superior) 

 

Prazo de Candidaturas 

As candidaturas podem ser submetidas exclusivamente online até 10 de Junho de 2017.

 

Data e Local

4 - 8 Setembro 2017, Maputo & Quelimane, Moçambique 

 

Formulário de Inscrição

https://otga.wufoo.eu/forms/otga-modelaaao-gestao-da-zona-costeira/

 

Mais Informação 

http://www.iode.org/index.php?option=com_oe&task=viewEventRecord&eventID=2031

 

Coordenador RTC- OTGA – Moçambique

Prof. António Hoguane

( Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. )

 

Coordenadora OTGA:

Cláudia Delgado

( Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Ler mais ...

Portal ciencia.ao Atinge Mais de 3000 Visitantes Únicos no Mês de Fevereiro de 2017

O portal ciencia.ao lançado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MINCT) a 26 de Maio de 2014, é dirigido à comunidade científica e a todas as pessoas que fazem ciência ou se interessam por ciência, tecnologia e inovação.

O principal objectivo é falar ciência, contar a ciência que se faz nas universidades, nos laboratórios e em outras Instituições de Ensino Superior e de investigação científica. O Ciencia.ao tem também por objectivo divulgar os resultados da investigação científica feita em Angola e/ou por angolanos, sua aplicação na vida quotidiana e contribuir para uma eventual melhoria das condições de vida das populações em vista de um desenvolvimento sustentável do País. 

O Portal ciencia.ao é um espaço de informação, descoberta, discussão, difusão de notícias, oportunidades, artigos, estudos, sondagens, legislação e eventos científicos (ex. conferências, cafés de ciência, colóquios, mesas redondas, projecções-debates). É um meio eficaz de divulgação da cultura científica e de sensibilização, para as questões de ciência, do público em geral, das crianças em idade escolar e de um público iniciado constituído por investigadores, professores, docentes e estudantes universitários, entre outros. O portal reúne condições e funcionalidades técnicas modernas e performantes, sendo uma excelente ferramenta de trabalho e garante serviços de qualidade.

O Portal ciencia.ao reserva a cada um dos Actores do Sistema Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação de Angola um espaço ideal para informação e difusão das suas instituições e especificidades (apresentação da instituição, suas visão, missão e estratégia, estatutos, morada, contactos úteis, etc…), assim como dos seus eventos e oportunidades.

Adicionalmente, o ciencia.ao obriga-se a exercer a sua actividade com sentido de responsabilidade e espírito de tolerância através de informação isenta, rigorosa e objectiva.

Assim, tem-se envidado vários esforços para que o Portal ciencia.ao seja a referência online em termos de Ciência, Tecnologia e Inovação em Angola. O seguinte gráfico mostra a evolução do número de visitantes no período de Março de 2016 a Fevereiro de 2017. Observa-se, a partir das barras vermelhas, que saímos de aproximadamente 1000 visitantes únicos (se um visitante aceder ao portal mais de uma vez num determinado mês, só conta uma vez) em Março de 2016 para mais de 3000 em Fevereiro de 2017. As barras verdes representam o número de visitantes, incluindo visitantes repetidos, num determinado mês. Observa-se que os visitantes consultam o portal mais do que uma vez por mês e que o número de visitantes tem estado a aumentar ao longo do tempo – um aumento, em média, de 167 visitantes por mês –, como se representa pela linha tracejada azul. 

 

Ler mais ...

Investigador Angolano Co-autor de Estudo Premiado pela Academia de Ciências de Cuba

 

Foi atribuído o Prémio Anual da Academia de Ciências de Cuba, referente ao ano 2016, ao trabalho de investigação científica denominado "A Apropriação Significativa de Conteúdos Matemáticos como Processo Básico na Formação do Profissional Universitário" .

O referido trabalho foi elaborado pelos seguintes autores, dos quais se destaca o Professor Doutor Eurico Wongo Gungula, Reitor da Universidade Óscar Ribas:

Raquel Diéguez Batista1, Mirtha Numa Rodriguez1, Nereyda Pérez Sánchez1, Eurico Wongo Gungula2, Vicente Eloy Fardales Macías3, Osmany Puig Jiménez1, Raudel Torrecilla Díaz1, Agustín Martín Pérez1, Elena Anatolievna Dugareva1.

1- Universidade de Ciego de Ávila (Cuba)

2- Universidade Óscar Ribas (Angola)

3- Universidade Médica de Sancti Spiritus (Cuba)

Salienta-se ainda que o Prof. Doutor Eurico Gungula é Licenciado em Matemática pela Universidade Agostinho Neto, Mestre em Novas Tecnologias Aplicadas à Educação pela Universidade Máximo Gómez Báez (Cuba) e Doutor em Ciências Pedagógicas pela Universidade de Oriente (Cuba).

Ler mais ...

Instituições Angolanas Estudam a Fertilidade dos Solos Predominantes em Angola

Investigadores do Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC), em parceria com a Universidade Independente de Angola (UNiA), a Estação do Desenvolvimento Agrário de Cacuaco e o Laboratório Central da Agricultura e Pecuária, com base na análise das propriedades químicas dos solos ferralíticos, estão a desenvolver estudos que permitam perceber a fertilidade dos solos predominantes em Angola.

Angola é considerado como o 16º país do mundo com maior potencial agrícola. Esta classificação deve-se fundamentalmente pelas seguintes razões: (i) grandes extensões de solos aráveis, estimados em cerca de 58 milhões de hectares, (ii) abundância em recursos hídricos e (iii) energia radiante ao longo de todo o ano. Apesar destes enormes recursos, a agricultura angolana regista actualmente baixas produções unitárias. O principal factor que condiciona a produção agrícola está relacionado com a baixa fertilidade dos solos ferralíticos. Estes solos são os mais predominantes em Angola, ocupam cerca de 45,35% do território nacional.

No período colonial, a agricultura tinha um papel muito importante, satisfazia a maior parte das necessidades alimentares do mercado nacional, e exportava a produção das culturas de rendimento (café, algodão, sisal e banana). O sucesso desta agricultura fundamenta-se pelo profundo conhecimento científico e técnico dos solos de Angola e pela especialização dos Engenheiros Agrónomos em questões de pedologia e em problemas respeitantes a fertilidade dos solos. Com efeito, as investigações realizadas no então Instituto de Investigação Agronómica de Angola, mostraram que 92% dos solos angolanos apresentavam carências de azoto e 94% carência de fósforo. O azoto e o fósforo são os dois nutrientes que mais limitam a produtividade dos solos tropicais, e em particular dos angolanos.

As amostras do solo para este estudo, foram recolhidas na localidade do Sequele, município de Cacuaco, nas profundidades de 0 a 20 cm e de 20 a 40 cm. Nas amostras determinou-se o pH, a matéria orgânica, o fósforo, as bases trocáveis, bem como as variáveis que deles derivam, como a soma de bases, capacidade de troca catiónica, saturação por bases e por alumínio. Estes parâmetros foram interpretados utilizando cinco classes de fertilidade designados de “Muito baixa”, “Baixa”, “Média”, “Alta” e “Muito alta”, onde os três primeiros correspondem os valores entre zero e o teor crítico, e as duas últimas a valores superiores do teor crítico.

Os resultados obtidos das análises químicas indicaram que a maior parte dos valores médios dos parâmetros estudados variaram de “Muito baixa” a “Baixa”. Estes resultados corroboram com os estudos antes realizados neste tipo de solos. Neste contexto, considerando que os solos ferralíticos são pobres em nutrientes e que o país gasta anualmente elevados recursos financeiros na importação de adubos químicos, para este tipo de solo, antes de se aplicar os adubos, deve-se primeiro realizar a análise química do solo, em seguida a calagem para a correcção do pH. Através desta prática, pode-se determinar a quantidade do elemento no solo e estimar as necessidades de calagem e dos nutrientes essenciais necessários para a obtenção de uma produção economicamente rentável para o agricultor.

 

Para informação adicional contacte os autores do estudo.

Dr. Domingos Bongue, Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , 926 289 870

Dr. João Carlos Ferreira, Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , 924 224 839

Dr. Pedro Guilherme João, Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , 923 524 803

Eng.ª Márcia da Graça de Sousa Gaspar, Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , 929 342 827

 

Ler mais ...

5ª Edição do Concurso Imagine Cup Angola-2017

  • Publicado em Eventos

O Ministério da Ciência e Tecnologia (MINCT), em parceria com a multinacional Microsoft Angola, realiza nesta sexta-feira, dia 12 de Maio de 2017, às 09:30, na Mediateca de Luanda, sito no Largo das Escolas, a final da 5ª Edição do Concurso Imagine Cup Angola-2017.

O Concurso Imagine Cup tem como objectivo a abertura de oportunidades aos estudantes de se juntarem e utilizarem a sua criatividade, a sua paixão e o seu conhecimento de tecnologias para criar aplicativos, jogos e soluções a inúmeros problemas vivenciados pela sociedade angolana e não só.

Para baixar a nota de imprensa, clique aqui.

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais