Menu

Ciencia.ao - Itens filtrados por data: outubro 2019

Um PhD para Melhorar a Sociedade, não para Perseguir Elogios Académicos

Quando se olha para as estatísticas, é difícil não concluir que o actual sistema de doutoramento está fundamentalmente fragmentado. Questões de saúde mental são comuns: aproximadamente um terço dos estudantes de doutoramento correm o risco de ter ou desenvolver um distúrbio psiquiátrico como a depressão. O alto nível de abandono é igualmente preocupante – e possivelmente outro sintoma do mesmo problema. Estudos sugerem que, em média, 50% dos estudantes de doutoramento deixam a pós-graduação sem a terminar – com números mais altos em algumas instituições.

Além disso, os aspirantes a cientistas que conseguem terminar, geralmente levam muito mais tempo do que o planeado inicialmente. Por exemplo, um doutoramento na Alemanha deve ser feito em três anos, de acordo com os regulamentos da universidade, mas a maioria dos estudantes precisa de cinco anos para o concluir. Enquanto isso, nos EUA, o tempo médio de conclusão de um doutoramento em ciências da educação ultrapassa os 13 anos. O resultado é que, na maioria dos países, os estudantes de doutoramento, geralmente, não se formam até os 30 anos.

Embora 80% dos estudantes de ciências iniciem o seu doutoramento com a intenção de seguir uma carreira em ciências, o seu entusiasmo geralmente diminui a tal ponto que apenas 55% planeia continuar na academia quando se aproximar da graduação. De qualquer forma, é improvável que a maioria consiga continuar. Um estudo descobriu que, para cada 200 pessoas que concluem um doutoramento, apenas sete terão um cargo académico permanente e apenas um se tornará professor.

Muitos académicos entram na ciência para mudar o mundo para melhor. No entanto, muitas vezes, parece que a academia contemporânea é mais para buscar citações. A maioria dos trabalhos académicos é partilhada apenas com uma comunidade científica específica, em vez de formuladores de políticas ou empresas, o que o torna totalmente desconectado da prática.

Veja o meu exemplo. Investigo sobre como mitigar o impacto social das barragens hidroeléctricas. Até agora, o meu artigo principal sobre este tópico foi citado três vezes. Nas directrizes de promoções da minha universidade,li que se eu quiser ser promovido de professor assistente para professor associado, preciso acumular citações significativas. Como resultado, publiquei agora um artigo no qual revisei 114 definições de um termo académico actual, economia circular, para propor a 115ª definição desse termo.

Em termos académicos, este artigo é um sucesso: foi citado 39 vezes desde a sua publicação. O artigo está entre os principais nos resultados de pesquisa já rastreados pelo Altmetric, uma ferramenta que mede a influência de um artigo entre os académicos nos media. Pessoas com as quais nunca tive uma conversa, procuram-me em conferências para me felicitar. Mas não estou a comemorar: este artigo simboliza tudo o que está fragmentado na academia. Os académicos adoram definições, não soluções.

Eu gostaria que a academia incentivasse os estudiosos a melhorar a sociedade, não a perseguir citações. Quero que reimaginemos um doutoramento que seja projectado para não ganhar elogios na comunidade académica, mas que tenha como objectivo descobrir algo novo que será útil para os profissionais e tenha um impacto social real.

Nesse novo sistema de doutoramento, desde o primeiro dia da sua caminhada investigativa, os estudantes entrariam em campo conversando com os profissionais, em vez de passar o primeiro ano (ou mais) lendo literatura académica obscura.

Os alunos então co-criariam o conteúdo das suas teses com o seu tutor/orientador, bem como com os profissionais da sua área de investigação.

Em vez de trabalhar em cada frase de uma dissertação de 100 mil palavras trancado entre quatro paredes, os estudantes de doutoramento partilhariam um esboço conciso de 2000 palavras com esses profissionais, com vista a obter um feedback direccionado. Eles terminariam o doutoramento quando fizessem a diferença no mundo real.

É hora de interromper o actual sistema de doutoramento para o tornar melhor para os investigadores em início de carreira. Precisamos de nos afastar de uma cultura auto-referencial na qual os académicos conversam apenas com seus pares. Confúcio disse que um dos princípios fundamentais da academia deveria ser: "A essência do conhecimento é tê-lo e aplicá-lo". Lembrar-se disto pode ajudar a consertar a máquina de doutoramento fragmentada.

 

Autor: Julian Kirchherr é o autor do livro "The Lean PhD": Melhore radicalmente a eficiência, a qualidade e o impacto da sua pesquisa '. Ele é professor e investigador da Universidade de Utrecht, na Holanda.

 

Texto original em inglês, aqui.

Ler mais ...

1.ª Feira de Ciências e Tecnologias da FCT/Unipiaget de Angola

  • Publicado em Eventos

Sob o lema “Criar, Inovar para Melhor Servir Angola, Primando pela Segurança e Protecção do Meio Ambiente”, a Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Jean Piaget de Angola realiza, de 30 de Outubro a 1 de Novembro de 2019, nas Instalações da Universidade Jean Piaget de Angola (Viana – Kapalanca), a 1.ª Feira de Ciências e Tecnologias.

A Feira tem como objectivo promover a cultura científica e inovadora nas Instituições de Ensino Superior, consolidando a interdisciplinaridade entre os estudantes e as empresas. Especificamente, pretende-se com esta Feira:

  • Reunir na UniPiaget de Angola empresas e instituições nacionais interessadas em divulgar a sua produção, as suas ofertas de emprego e estágios aos recém-formados e estudantes;
  • Privilegiar o contacto entre estudantes e o meio empresarial, num espaço de exposição das empresas, de forma a potenciar saídas profissionais dos estudantes;
  • Promover debates e esclarecimentos de várias temáticas de interesse para a comunidade empresarial e académica, o reforço entre a UniPiaget e as empresas;
  • Estimular o desenvolvimento de actividades investigativas e experimentais;
  • Divulgar trabalhos referentes a resultados de projectos de pesquisa de extensão e inovação, experimentos laboratoriais e demais produções de carácter técnico-científico, e tecnológico;
  • Fomentar troca de experiências didácticas baseadas na produção de conhecimento técnico-científico;
  • Fortalecer as relações entre a comunidade académica e os demais sectores.

Mais informação em: www.unipiaget-angola.org

 

Ler mais ...

MESCTI abre Inscrições para 6ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia: Actualizado - 5 de Novembro

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação informa que estão abertas, até ao dia 5 de Novembro, as inscrições para a 6ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, a realizar-se no Centro de Convenções de Talatona, de 12 a 14 de Novembro de 2019, em Luanda.

A Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia (CNCT) é um evento científico bianual, que privilegia a apresentação e discussão de resultados de investigação científica de trabalhos, que estejam além da análise da bibliografia e também da descrição de casos, ocorrências ou fenómenos, com o objectivo de apresentar e discutir resultados de investigação científica e trocar experiências sobre a contribuição da ciência na melhoria da qualidade do ensino, no apoio à economia e na resolução dos problemas sociais.

A 6ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia tem como público alvo a comunidade científica, especialistas, profissionais e estudantes com interesse nos temas e tópicos abaixo referidos nos seguintes painéis:

  • PAINEL I – “Políticas e Instrumentos de Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica" (Medidas de política e financiamento e a implementação da inovação e do empreendedorismo de base tecnológica);
  • PAINEL II – “Ciências Sociais, Humanidades, Sociedade e Economia” (A ciência, os hábitos e costumes e os problemas sociais);
  • PAINEL III – “A Inovação Tecnológica, a Produção de Alimentos e a Substituição de Importações” (A ciência, a produção de alimentos, a oferta de novos produtos, a segurança alimentar e nutricional);
  • PAINEL IV – “A Ciência, a Gestão dos Recursos Naturais e das Urbanizações (A aplicação do conhecimento, das tecnologias geo-espaciais, e de sensoriamento remoto na gestão dos recursos naturais, do meio e das cidades na era das alterações climáticas);
  • PAINEL V – “A Investigação Operacional, a Inovação Tecnológica e os Serviços de Saúde” (A qualidade dos serviços de saúde, a vigilância epidemiológica, a prevenção e o combate às endemias).

Para baixar a ficha de inscrição, clique aqui. Mais informações, por favor aceda aqui o site da Conferência.

Ler mais ...

MESCTI Abre Inscrições para a FIEBAT 2019: Inscreva-se já!

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação informa que, no âmbito da realização da 6ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, a ter lugar no Centro de Convenções de Talatona - CCTA, de 12 a 14 de Novembro de 2019, em Luanda, realizará paralelamente, a primeira edição da Feira de Ideias, Invenções, Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica - FIEBAT.

A FIEBaT é um evento que tem como objectivo divulgar e premiar os produtos, serviços e processos inovadores com potencial económico e social para o desenvolvimento sustentável que tenham sido produzidos em Angola nas IES (Instituições de Ensino Superior) e II&D (Instituições de Investigação Científica e Desenvolvimento).

Requisitos:

Os candidatos interessados em participar na FIEBAT, devem cumprir com os seguintes requisitos:

  • Apresentar Projectos (ideias, invenções e inovação) desenvolvidos nas IES e II&D ou em colaboração;
  • Apresentar protótipos, produtos/serviços e processos tecnológicos, com potencial económico;
  • Ter criatividade e originalidade;
  • Os projectos de produtos ou processos deverão ser apresentados em forma de protótipos, obrigatoriamente;
  • Poderão concorrer trabalhos que ainda não foram premiados em outros eventos;
  • Quando a exposição envolver simulação por computador, o equipamento deverá ser providenciado pelos participantes.

Forma de Participação

1. A participação na FIEBaT pode ser feita de forma individual ou por equipa mediante o preenchimento e a apresentação da ficha de inscrição, em anexo.
2. Em caso de participação por equipa, esta será composta até quatro elementos.

Datas a lembrar:

Prazo de Inscrições: até 25 de Outubro de 2019;
Selecção e divulgação dos trabalhos aprovados: até 30 de Outubro de 2019;
Abertura e início da Feira: 12 de Novembro de 2019.

Para mais informação, baixe aqui o edital, ou inscreva-se em: http://cnct.ciencia.ao/index.php/FIEBaT/1FIEBaT2019/

Ler mais ...

Conheça a Associação Mundial de Organizações de Investigação Industrial e Tecnológica (WAITRO)

A Associação Mundial de Organizações de Investigação Industrial e Tecnológica, (em inglês, WAITRO) é uma associação independente, não governamental e sem fins lucrativos, criada em 1970, para promover e incentivar a cooperação entre organizações de investigação científica e desenvolvimento (I&D) industriais e tecnológicas. Foi fundada sob os auspícios do sistema das Nações Unidas e tem status consultivo em muitas das suas agências especializadas.

A WAITRO tem como objectivo aprimorar a investigação científica, tecnológica no mundo em desenvolvimento e facilitar o intercâmbio de investigação científica sempre que possível. Está aberta a organizações (órgãos ou institutos nacionais) activamente engajadas em investigação científica e desenvolvimento industrial ou técnico. Está igualmente aberta a organizações (públicas e privadas) activas no incentivo e promoção de actividades de investigação científica e desenvolvimento e desejosas de auxiliar a associação por meios financeiros ou outros meios para o alcance dos seus objectivos.

 

Para mais informações por favor consulte o site: https://www.waitro.org

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais