Menu

Ciencia.ao - Itens filtrados por data: junho 2019

Jornadas Europeias de Investigação e Inovação 2019

  • Publicado em Eventos

A Comissão Europeia realiza, de 24 a 26 de Setembro do corrente ano, no Centro Pompidou, em Bruxelas, as Jornadas Europeias de Investigação e Inovação, um evento político anual que reúne líderes mundiais da indústria, finanças, universidades e empresas para debater e moldar o futuro cenário de investigação e inovação.

As Jornadas visam mobilizar os cidadãos da União Europeia (EU) e aumentar a consciencialização e compreensão da importância da investigação e inovação na abordagem dos desafios que a sociedade enfrenta. Será uma celebração da melhor investigação e inovação que UE tem para oferecer.

São oradores destas Jornadas, ministros, comissários, membros do Parlamento Europeu, investigadores e outros convidados.

O evento será fundamental para encontrar soluções de investigação e inovação para essa grande transição, trabalhando em todas as políticas, definindo a direcção, estimulando a inovação, accionando o investimento e mobilizando cidadãos e utilizadores finais.

Proporcionará também uma importante oportunidade para as principais partes interessadas introduzirem ideias no planeamento estratégico geral para o futuro Horizonte Europeu. Esta é a proposta da Comissão Europeia para o próximo programa de investigação e inovação da UE (2021-2027), com um orçamento proposto de 100 mil milhões de euros.

 

Público-alvo

As Jornadas Europeias de Investigação e Inovação têm como público alvo: formuladores de políticas de alto nível, decisores corporativos, movimentadores de tecnologia, fabricantes e agitadores, investigadores, inovadores.

 

Para mais informação, consulte: https://ec.europa.eu/info/research-and-innovation/events/upcoming-events/european-research-and-innovation-days/about-european-research-and-innovation-days_en

Ler mais ...

CNIC realiza Workshop no âmbito do Projecto de Obtenção de Culturas Ambientalmente Sustentáveis

O Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC) realizou no dia 16 de Maio de 2019, pelas 09:30, no seu Auditório, um Workshop cujo tema teve como foco a exploração das potencialidades da Energia Atómica para fins civis, especificamente no melhoramento genético de plantas e na obtenção de novas variedades de interesse económico.

O evento enquadra-se no Projecto, em curso, de Obtenção de Plantas Resistentes à Seca, aos solos da Província do Cunene, através da indução de mutação por radiação gama.

Considerando a problemática da estiagem prolongada na região Sul de Angola, e os respectivos impactes ambientais e na qualidade de vida das populações, o presente projecto afigura-se como uma das estratégias, gizadas pelas Instituições Angolanas e a Agência Internacional de Energia Atómica, para mitigar de forma persistente os efeitos da seca e da escassa pluviometria, e diversificar as fontes de nutrientes e reforçar a segurança alimentar daquela região de Angola. 

O objectivo do Projecto é de obter culturas ambientalmente sustentáveis, com raízes mais tolerantes, e capazes de extrair eficientemente água do solo. De realçar que o projecto é coordenado pelo Instituto de Recursos Hídricos (Ministério da Energia e Águas) e pelo CNIC. Cabe, todavia, ao CNIC a tarefa árdua de gestão da parte científica, nomeadamente a selecção das variedades melhoradas e respectiva multiplicação.

Relativamente à indução de Mutação (entende-se por mutação as mudanças que ocorrem na estrutura ou na sequência de DNA que compõe determinado gene, transmissível para as gerações seguintes), o método por raios gama é amplamente utilizado em diversos países, e com elevada eficácia na obtenção de novas variedades de espécies de plantas de elevado interesse estratégico para a agricultura, como o caso referido da Citricultura. No entanto, a técnica carece de procedimentos específicos, nomeadamente de elevada perícia dos técnicos e normas de segurança para o efeito. 

Razões para o emprego de Energia Atómica no melhoramento de plantas? Trata-se de um método que aumenta a frequência de mutação (probabilidade de obtenção de mutantes) cinco (5) vezes mais, os métodos empregues nos programas de melhoramento por hibridação ou cruzamento natural. Por outro, reduz significativamente o tempo de investigação relativamente ao melhoramento clássico como a selecção de mutantes obtidos de forma espontânea.

Estiveram presentes, no evento, docentes universitários, investigadores, técnicos de distintos Departamentos Ministeriais (Ensino Superior, Ciência Tecnologia e Inovação; Agricultura; Energia e Águas) instituições privadas especializadas no melhoramento genético e multiplicação de clones como o Viveiro Afroplant.

O prelector foi o Professor Doutor Rodrigo da Rocha Latado, especialista em melhoramento genético do Instituto Agronómico de Campinas (Brasil) e da Agência Internacional de Energia Atómica. 

Ler mais ...

Candidaturas a Bolsas de Estudo Externas de Pós-Graduação Oferecidas pelo Governo Chinês

O Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE) anuncia que decorre, até ao dia 16 de Junho, o processo de candidaturas a bolsas de estudos externas oferecidas pelo Governo Chinês, para cursos de Mestrado e Doutoramento.
Os candidatos devem ser funcionários públicos ou vinculados a uma instituição privada, bem como ser, obrigatoriamente, proficientes na língua inglesa, comprovada através de um certificado IELTS ou TOEFL.
Para mais informação, relativamente aos requisitos necessários, aos cursos disponíveis e como efectuar a candidatura, devem consultar o portal do INAGBE, através do endereço electrónico: www.inagbeonline.com

Baixe aqui o PDF.

Ler mais ...

Bolsas de Estudo de Graduação e Pós-graduação para Estudar em Universidades Japonesas

No âmbito da cooperação bilateral entre Angola e o Japão, a embaixada do Japão em Angola informa que estão abertas, até ao dia 14 de Junho de 2019, as inscrições para as candidaturas ao programa de bolsas de estudo de Graduação e Pós-Graduação, para o ano académico 2020, do Governo Japonês, através do Ministério da Educação, Cultura, Desportos, Ciência e Tecnologia (MEXT), para estudar em universidades japonesas.

Os candidatos poderão inscrever-se, obedecendo à leitura minuciosa do guia, e preencher os formulários disponíveis nos links abaixo, referentes ao tipo de bolsa a que se pretende candidatar, anexar os documentos exigidos (ver no link) e submeter à Embaixada do Japão em Angola.

 

Para mais informação consulte: https://www.studyjapan.go.jp/jp/smap_stopj-applications_undergraduate.html ou ainda https://www.studyjapan.go.jp/jp/smap_stopj-applications_research.html.

 

Ler mais ...

Angola Participa da Reunião Anual da Rede de Biociências para África Austral

Encerrou a Reunião Anual da Rede de Biociências para África Austral (SANBio), que decorreu entre os dias 21 e 22 de Maio no Conselho para Investigação Científica e Industrial (CSIR - Council for Scientific and Industrial Research ) em Pretória, África do Sul, sob o lema: “Além do vale: contos não contados dos bio-empreendedores”. 

A reunião teve como objectivo avaliar as realizações da SANBio e o Programa BIOFISA II durante os últimos cinco (5) anos, tendo contado com a participação de investigadores científicos, académicos, empreendedores, estudantes, doadores, gestores e representantes governamentais de pelo menos 12 países nomeadamente Angola, África do Sul, Botswana, Finlândia, Quénia, Lesoto, Malawi, Moçambique, Namíbia, Seychelles Zimbabwe, Zâmbia. De referir, que no dia 23 de Maio estava agendada a reunião do Comité Director desta plataforma para aprovar o Plano Estratégico para os próximos 5 anos, mas esta foi adiada para o mês de Julho para uma melhor reflexão.

Angola fez-se representar por uma delegação do Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, composta pelo Secretário de Estado para Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), Prof. Doutor Domingos da Silva Neto, Magnífico Reitor da Universidade Técnica de Angola (UTANGA), Doutor Albertino Sebastião e pela Consultora do SECTI para Ciência e Investigação Científica, Doutora Dácia Vaz Pereira. 

Nos últimos 5 anos, a SANBio, proporcionou facilidades para a condução de actividades de investigação científica e de inovação partilhadas em áreas da saúde e nutrição, congregando essencialmente actores de países membros. O evento anual da SANBio demonstrou ser uma boa oportunidade para fortalecer a rede, compartilhar ideias, ampliar contactos e compartilhar experiências “como o empresariado vai ao encontro ao nível das bio-ciências e como estas devem incorporar na sua agenda a procura de soluções para a indústria.

Os resultados das 57 comunicações apresentadas durante a reunião confirmam que a Rede SANBio e o Programa BioFISA II – Iniciativa que apoia a inserção de estudantes na rede SANBio, estão a cumprir o seu papel natural, fazendo com que as actividades de investigação científica, transferência de tecnologia e inovação forneçam soluções nos domínios da saúde e nutrição a nível da região da SADC, tal como ficou expresso no plano de acção dos últimos 5 anos. 

Durante o evento, Angola propôs que na próxima reunião do Comité Director sejam concebidas estratégias tanto para se alavancar os países com menor desempenho como para se incentivar os países com melhor desempenho e que também estimulem os países com maiores dificuldades, de forma a aumentar a integração regional, algo que ficou de ser analisado durante a reunião do Comité Director transferida para Julho próximo.

À República de Angola, nomeadamente ao Secretário de Estado para a Ciência Tecnologia e Inovação, coube a honra de proferir o discurso de encerramento deste importante evento regional. Na sua intervenção, o SECTI, agradeceu os governos da África do Sul e da Finlândia pelo contínuo apoio à rede, encorajou a SANBio a continuar a apoiar projectos que priorizem a valorização de produtos locais e/ou regionais. Todavia, o SECTI chamou atenção aos presentes sobre a premente necessidade de se trabalhar para uma melhor integração regional por parte da SANBio, tanto na condução das actividades de formação de recursos humanos como de financiamento de projectos de investigação científica, transferência de tecnologia e inovação.

Mais adiante, o SECTI referiu que a participação da delegação angolana demonstra o compromisso da República de Angola em tirar maior proveito das facilidades proporcionadas pela SANBio, visto que a questão de reforço da colaboração entre a ciência e o empresariado e a consequente transferência de tecnologia para o sector produtivo é uma linha de trabalho alinhada com o Programa de Desenvolvimento Nacional de Angola “PDN 2018 - 2022”. 

 

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais