Menu

Eclipse Solar Anular: 1 de Setembro de 2016

 

Amanhã, quinta-feira, 1 de setembro de 2016, ocorrerá um eclipse solar anular observável na ilha Reunião. No local, os astrónomos do Observatório de Paris preparam-se para filmar e transmitir imagens em directo (9h15 em Angola) na Internet (http://www.dailymotion.com/observatoiredeparis).

Salienta-se que um eclipse solar ocorre quando a lua se interpõe entre o Sol e a Terra. O eclipse de amanhã será anular uma vez que a Lua não cobrirá o sol na totalidade, deixando um anel de energia solar visível por observadores terrestres. 

Alerta-se que não se deve olhar directamente para o eclipse, sem protecção, uma vez que poderão ocorrer danos nos olhos.

 

Para mais informações, consulte o seguinte portal (em francês):

https://www.obspm.fr/une-eclipse-annulaire-de.html?lang=fr

 

Imagem obtida em: http://cdn4.hoy.com.do/wp-content/uploads/2014/04/eclipse.jpg

Ler mais ...

Monitorização das Pragas da Mandioca Mediante as Feromonas Sexuais

Tendo em vista o Ante-Projecto sobre a “Monitorização das pragas da mandioca mediante as feromonas sexuais”, a ser desenvolvido pelos técnicos do  Centro Nacional de Investigação Científica e do Centro Tecnológico Nacional, realizou-se, no dia 25 de Julho de 2016, no Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), uma reunião com o Director Geral Adjunto desta instituição. Nesta reunião foram apresentadas as ideias gerais do Ante-Projecto, tendo-se solicitado a participação do IDA, pela sua natureza, no referido Ante-Projecto. 

O Ante-Projecto surge na sequência das visitas realizadas às zonas agrícolas da Funda Prédio, de Ganguela, de Mukulo e de Sequele, na circunscrição do município de Cacuaco, onde se constatou que a maior parte dos camponeses dessas zonas, utiliza de forma excessiva produtos agrotóxicos, como  insecticidas, para o controlo de pragas nas culturas agrícolas.  

A mandioca (Manihot esculenta Crantz) é uma das culturas mais importantes de Angola, pois, constitui o alimento básico de cerca de 40 a 50% da população, a seguir ao milho(2). Entretanto, a sua produtividade é ainda relativamente baixa. Os problemas da baixa produtividade da mandioca podem estar relacionados com as pragas que atacam o cultivo em diferentes fases do seu desenvolvimento. 

Neste contexto, os esforços para aumentar os rendimentos da mandioca devem basear-se no entendimento dos problemas que afectam o cultivo, a fim de eliminá-los ou contê-los. O uso das feromonas sexuais para a monitorização das pragas prejudiciais ao cultivo, poderia significar uma medida de grande interesse para substituir ou complementar outros métodos de controlo já existentes. 

As feromonas são produtos orgânicos expedidos por insectos, em quantidades mínimas, que funcionam como mensageiros químicos, voláteis ou solúveis na água(4). Actualmente, as feromonas têm vindo a substituir os insecticidas convencionais para o controlo dos insectos, pois estas moléculas induzem reacções comportamentais com a vantagem de não serem tóxicas, são eficazes em pequenas quantidades (10-18 g) para a mensagem, são dirigidas para indivíduos da mesma espécie e não deixam resíduos contaminantes(1,3,4). Estas vantagens têm despertado um enorme interesse no estudo aprofundado das feromonas, permitindo o incremento no que respeita à sua síntese e comercialização, com vista a sua aplicação no combate das pragas nocivas a agricultura (1).

 

Bibliografia 

1.Anónimo. 2008. Universidade da Madeira. Projecto bichado da castanha. Disponível em: http://www.uma.pt/bichado/resultados.htm.

2. António, M.P. 2013. Culturas intercalares e agricultura familiar em Angola. Caso: Mandioca/Cajanus; Mandioca/Leucaena. Tese de Doutoramento. Universidade Técnica de Lisboa, 173 páginas. 

3. José, A.S.C. e Augusto, C.T. 2000. Comunicação química, feromonas e controle de insectos. Departamento de Química, Universidade de Aveiro.

4. Tegoni, M., Companacci, V. e Cambillau, C. 2004. Structural aspects of attraction and chemical communication in insects. Trends in Biochemical Sci 257-264.   

 

 

Para informação adicional contacte:

1- Dr. João Carlos Ferreira (Coordenador do projecto) - E-mails: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , T: 924 224 839
2- Dr. Domingos Bongue
3- Msc. Eusébio Panzo
4- Msc. Joaquim Cordeiro
Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais