Menu
Portal Ciencia.ao

Portal Ciencia.ao

Museu Virtual da Lusofonia será lançado esta Sexta-feira pelo CECS (Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho)

O Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) da Universidade do Minho lança esta sexta-feira, dia 4 de Setembro, o Museu Virtual da Lusofonia na plataforma Google Arts & Culture.

De acordo com o Professor, Investigador e Director do CECS, Moisés de Lemos Martins, o objectivo do Museu é “a constituição de um espaço transcultural e transnacional, aberto à participação activa dos cidadãos, divulgando materiais artísticos e culturais dos países de língua portuguesa, das suas diásporas e de regiões como a Galiza, Goa e Macau, que exprimem a diversidade das culturas deste espaço e dão forma à memória colectiva destas comunidades e à sua identidade plural”. O mesmo frisou ainda que  “Com o Museu Virtual da Lusofonia tem-se também em vista desenvolver dinâmicas de interacção e de cooperação, cultural, artística, cívica e científica, no vasto espaço lusófono, não esquecendo a importância do passado colonial na gestação daquilo que hoje somos como países de língua portuguesa”.

O Museu Virtual da Lusofonia foi criado pelo CECS em 2017, enquanto plataforma de cooperação artística e cultural aberta a todo o espaço, físico e virtual, da língua portuguesa.

A sua equipa conta com profissionais da educação e dos media, agentes culturais e artísticos, historiadores, sociólogos, antropólogos, editores, políticos e investigadores de comunicação, que realizam o levantamento e a análise de todas as obras expostas.

Mais informação em: http://www.museuvirtualdalusofonia.com/

Aprovação de Projectos de Investigação Científica na agenda da 9ª Reunião Extraordinária do Conselho de Administração do SASSCAL

NOTA DE IMPRENSA

Aprovação dos Projectos de Investigação Científica para Financiamento na Segunda Fase do SASSCAL (2020-2024) na Agenda da 9ª Reunião Extraordinário do Conselho de Administração do SASSCAL

 

O Centro da África Austral para Ciência e Serviços para Adaptação às Alterações Climáticas e Gestão Sustentável dos Solos – SASSCAL, iniciativa integrada por Angola, África do Sul, Alemanha, Botswana, Namíbia e Zâmbia, realiza hoje, quinta-feira, 27 de Agosto de 2020, online, a sua 9ª Reunião Extraordinária do Conselho de Administração.

A reunião, que teve o seu início às 8 horas de Angola e terminará às 17 horas, abordará e aprovará seis documentos de extrema importância para o funcionamento desta segunda fase do SASSCAL (2020-2024), de entre eles destacamos: “ O Manual de Regras e Procedimentos e Plano de Trabalhos do Conselho Científico do SASSCAL e a aprovação dos projectos de investigação científica para financiamento (no período 2020-2024)". Angola, à semelhança de outros países, submeteu igualmente propostas de projectos para financiamento nesta segunda fase do SASSCAL.

A iniciativa SASSCAL tem como financiador principal a República Federal da Alemanha através do Ministério Federal Alemão da Educação e Investigação Científica, e conta igualmente com a contribuição financeira dos países que integram a referida iniciativa.

Na primeira fase do SASSCAL, Angola beneficiou de 13 projectos de investigação científica nas áreas das Águas, Agricultura, Biodiversidade, Clima e Florestas, bem como da Formação e Capacitação de Recursos Humanos (61), desde Licenciados, Mestres, Doutores e Comunidades de Camponeses que tiveram a oportunidade de aprender em Instituições nacionais e internacionais (Alemanha, Espanha e Portugal).

Angola beneficiou igualmente com o apoio de infraestruturas de base para a investigação científica, nomeadamente:

  • Um laboratório de solos para a Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos,
  • Um Laboratório Portátil para determinação de parâmetros físico-químicos da água e um Sismógrafo, ambos para Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto.

Fazem igualmente parte das infraestructuras de apoio à investigação científica, 6 Observatórios de Biodiversidade instalados nos Parques do Bicuar e Tundavala (Huíla), Cameia (Moxico), Iona (Namibe), Casseque (Bié), e Caindo (Cuando – Cubango). Tudo isso, com o financiamento de dois milhões e seiscentos e vinte e três mil e quarenta e um Euros e três cêntimos (E 2 623 041,03).

Angola beneficiou ainda de uma instalação na Rede Meteorológica Nacional sob coordenação do INAMET, com 28 Estações Meteorológicas Automáticas e a recuperação de 17 Estações Meteorológicas, estas últimas nas províncias da Huíla, Namibe, Cunene e Cuando – Cubango.

A iniciativa SASSCAL em Angola é coordenada pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação.

 

Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Luanda 27 de Agosto de 2020.

Concurso Público: Estudo sobre Ecossistema de Inovação em Angola - MESCTI - PNUD

CONCURSO PÚBLICO

Estudo sobre Ecossistema de Inovação em Angola

Consultoria de Análise e Diagnóstico do Estado Actual do Ecossistema de Inovação em Angola

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em Angola, em parceria com o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), convida cidadãos angolanos a candidatarem-se para a prestação de serviço de consultoria com o objectivo geral de elaborar um estudo de análise e diagnóstico do actual estado do ecossistema de inovação no território nacional. São elegíveis cidadãos angolanos com experiência em elaboração de estudos com tratamento e análise quantitativa e qualitativa de dados sobre inovação em países em desenvolvimento, com experiência demonstrada ao mais alto nível de pesquisa teórica e prática com temas relacionados ao ecossistema de empreendedorismo e inovação tal como mapeamento dos principais actores e parceiros que influenciam este sector.

Solicita-se que os candidatos remetam os seguintes documentos para o processo de selecção que será realizado pelo Comité de Gestão da Acção:

  • Proposta técnica;
  • Carta de apresentação do candidato;
  • Formulário P11 preenchido;
  • Curriculum Vitae (CV).

Estes documentos devem ser submetidos ao email seguinte: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até o dia 4 de Setembro de 2020.

Para mais informação aceda aos links: https://jobs.undp.org/cj_view_job.cfm?cur_job_id=93487 / https://jobs.undp.org/cj_view_job.cfm?cur_job_id=93489

Oportunidade: Vaga para Director do Gabinete Internacional de Educação (IBE) - UNESCO

A UNESCO, como agência líder para o Objectivo de Desenvolvimento Sustentável 4 sobre educação de qualidade, informa que estão abertas as candidaturas para a vaga de Director do Gabinete Internacional de Educação (IBE), até ao dia 30 de Setembro de 2020. O perfil indicado para esta posição é o de um líder experiente, capaz de inspirar outras pessoas e construir confiança por meio de uma abordagem inclusiva.

Responsabilidades do Director do IBE

Sob a orientação do Conselho do IBE e sob a supervisão directa do Subdiretor-Geral para Educação, o Director do IBE fornece liderança intelectual e define uma visão estratégica para o programa e equipa do IBE. O mesmo é responsável por liderar o Instituto, bem como por planejar e implementar seu programa e orçamento e por apresentar relatórios sobre eles. Para tal, supervisiona a preparação do projecto de programa e orçamento anual do Instituto para apresentação ao Conselho e, uma vez aprovado este documento, estabelece um plano de negócios detalhado, orienta a sua implementação e relatórios de progresso e resultados.

Habilidades - (Fundamentais / Gestão)

  • Comunicação (F)
  • Responsabilidade (F)
  • Inovação (F)
  • Partilha de conhecimento e desejo constante de melhoria (F)
  • Planeamento e organização (F)
  • Cultura de resultado (F)
  • Trabalho em Equipa (F)
  • Criação de parcerias (G)
  • Gestão de Direcção e mudança (G)
  • Liderança e capacitação de colegas (G)
  • Capacidade de tomar as decisões certas (G)
  • Acompanhamento de comportamento (G)
  • Desenvolvimento do pensamento estratégico (G)

Qualificações Requeridas
O candidato deverá ser Doutorado em educação, ciências ou outras áreas afins das ciências sociais.

Experiência Profissional

  • Pelo menos 15 anos de experiência profissional relevante em níveis crescentes de responsabilidade no campo da educação.
  • Experiência no desenvolvimento e organização de programas de investigação e formação educacional, bem como na análise de políticas de educação e cooperação internacional.
  • Experiência em planeamento estratégico, gestão de mudanças e liderança de equipes.
  • Experiência em mobilização de recursos e construção de parcerias.
  • Forte rede de profissionais em todo o mundo.

 

Habilidades / Competências

  • Adesão ao mandato, visão e orientação estratégica da Organização, bem como às suas prioridades;
  • Excelente conhecimento do currículo de educação global e desenvolvimento de políticas e bom conhecimento das tendências globais e desenvolvimentos em questões curriculares;
  • Habilidades comprovadas de liderança e gestão, cultura geral ampla e habilidades analíticas, forte senso de objectividade, integridade profissional e perspicácia política;
  • Capacidade de identificar questões estratégicas críticas, objectivos, oportunidades e riscos.
  • Capacidade comprovada em planeamento e gestão estratégica, incluindo a capacidade de gerir grandes programas e recursos financeiros, e exercer supervisão e controle apropriados;
  • Habilidades organizacionais, incluindo a capacidade de estabelecer planos e prioridades, para implementá-los com eficácia e para projectar estratégias de implementação;
  • Capacidade de liderar processos de mudança em cargos de chefia e bom conhecimento da administração de uma instituição que responde perante os órgãos sociais;
  • Bom julgamento e habilidades de tomada de decisão;
  • Capacidade de interagir com diplomacia, tacto e habilidade política;
  • Excelente relacionamento interpessoal e capacidade de liderar e motivar equipes multidisciplinares em ambiente multicultural, além de fornecer suporte e desenvolvimento de equipe;
  • Capacidade de se comunicar de forma eficaz e persuasiva, oralmente e por escrito, com capacidade comprovada de desempenhar funções representativas. 

Línguas
Excelente conhecimento (escrito e oral) de inglês ou francês e bom conhecimento de trabalho da outra língua.

Formação complementar
Outros diplomas ou formações profissionais de curto ou médio prazo em disciplinas relevantes para o cargo. 

 

Mais informação: https://careers.unesco.org/job/Geneva-DirecteurDirectrice-du-Bureau-international-d'%C3%A9ducation-de-l'UNESCO/519673602/

Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais