Menu
Portal Ciencia.ao

Portal Ciencia.ao

Chamada para Candidaturas: EDCTP Mobiliza Financiamento para a Investigação sobre a COVID-19 na África Subsaariana

A EDCTP (European & Developing Countries Clinical Trials Partnership) informa que estão abertas as candidaturas para a apresentação de propostas para apoiar a investigação clínica em doenças relacionadas à pobreza, incluindo doenças infecciosas negligenciadas, e o desenvolvimento da capacidade de investigação na África Subsaariana. Estão disponíveis sete (7) chamadas, que representam um investimento de mais de € 80 milhões de Euros, com um prazo de candidaturas até o dia 17 de Abril de 2020.

Destas  sete (7) chamadas, foi aprovada a iniciativa de financiamento de emergência como resposta Europeia à emergência COVID-19. O “Mecanismo de Financiamento de Emergência” da EDCTP permite uma rápida mobilização de fundos de investigação com base em um convite à manifestação de interesse em emergências excepcionais e devidamente fundamentadas. A EDCTP considera uma situação como uma emergência se for imprevisível e apresenta um risco sério e imediato para a saúde humana. O status “Emergência” é adoptado somente após uma declaração oficial de uma situação como 1) uma Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional (PHEIC) de acordo com a Organização Mundial da Saúde ou 2) uma emergência de saúde pública de acordo com a Decisão 1082/2013 / UE ou 3) uma emergência sob as estruturas e regulamentos nacionais aplicáveis. 

Após o novo surto da doença de Coronavírus (COVID-19) em Dezembro de 2019, houve uma rápida disseminação sem precedentes em mais de 181 países, com mais de 1 milhão de casos confirmados globalmente (1) a partir de 3 de Abril de 2020.

À luz do crescente número de casos relatados nos países afectados, incluindo vários países da África Subsaariana, a Associação EDCTP concordou em activar o mecanismo de financiamento emergencial para apoiar as Acções de Investigação e Inovação (AIRs) como parte da resposta Europeia a COVID-19.

Para mais informações consulte: https://www.edctp.org/funding-opportunities/calls-for-proposals-for-funding-of-clinical-research-on-poverty-related-infectious-diseases/

UNESCO mobiliza 122 países para promover a ciência aberta e o reforço da cooperação face à COVID-19

Ontem, segunda-feira, 30 de Março, a UNESCO realizou uma reunião on-line com ministros responsáveis pela ciência e seus representantes incluindo 122 países e organizações internacionais. Entre os participantes estavam 77 ministros, bem como representantes de organismos internacionais como: Sarah Anyang Agbor, Comissária da União Africana para Recursos Humanos, Ciência e Tecnologia, Mariya Gabriel, Comissária Europeia para Inovação, Pesquisa, Cultura, Educação e Juventude, Moses Omar Halleslevens Acevedo, ex-vice-presidente da Nicarágua e Dr. Soumya Swaminathan, investigador chefe da Organização Mundial da Saúde.

Por Angola participou a Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Prof. Doutora Maria do Rosário Bragança Sambo, fazendo-se acompanhar do Director Nacional para Ciência e Investigação Científica, Prof. Doutor António de Alcochete e do Director Nacional para Formação Pós-Graduada, Prof. Doutor Emanuel Catumbela.

A reunião teve como objectivo trocar pontos de vista sobre o papel da cooperação internacional em ciência e aumentar o investimento no contexto do COVID-19.

O tópico principal da reunião foi a ciência aberta, para a qual a UNESCO trabalha em uma recomendação internacional desde Novembro de 2019. Em relação à ciência aberta, a reunião teve a seguinte agenda de trabalho:

  • A união de conhecimentos, medidas de apoio à investigação científica e a redução da lacuna de conhecimento entre países;
  • Mobilização de tomadores de decisão, investigadores, inovadores, editores e sociedade civil para permitir o livre acesso a dados científicos, resultados de investigação, recursos educacionais e instalações de investigação;
  • Reforço dos vínculos entre as decisões científicas e políticas, para atender às necessidades da sociedade;
  • A abertura da ciência à sociedade enquanto as fronteiras estão fechadas.

A Directora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, apelou aos governos o reforço na cooperação científica e a integração da ciência aberta nos seus programas de investigação científica para prevenir e mitigar crises globais.

“A pandemia do COVID-19 aumenta a nossa consciência da importância da ciência, tanto na investigação, quanto na cooperação internacional. A crise actual também demonstra a urgência de intensificar a partilha de informações por meio da ciência aberta. Chegou a hora de nos comprometermos todos ”, declarou a Directora-geral.

A Sra. Anyang Agbor, da União Africana, enfatizou que “a África precisa de uma colaboração mais forte entre instituições de investigação científica que mobilize a academia e os sectores público e privado. A União Africana, no final de 2019, reconheceu a Ciência Aberta (Open Science) como um divisor de águas no tratamento das desigualdades".

A mensagem da Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação de Angola, Prof. Doutora Maria do Rosário Bragança, incluiu, dentre outros aspectos, a necessidade de livre acesso a informações e publicações científicas, de apoio para criação de uma plataforma interativa para detecção e notificação de casos ao nível nacional, com emissão de estatísticas e outras correlações, permitindo acompanhar em tempo real a dinâmica e o desenvolvimento da epidemia nos países. Essa ferramenta também poderá ser utilizada para outras doenças, de acordo com o perfil epidemiológico de cada país, no nosso caso, como malária, dengue, infecções respiratórias.

Ao longo destas últimas semanas a comunidade científica internacional tem sido mobilizada em torno da emergência, compartilhando e disponibilizando universalmente os resultados de investigação científica e realizando uma reforma sem precedentes nos seus métodos de trabalho (as principais revistas científicas tornaram o conteúdo sobre o vírus acessível a todos, mais de 1.000 artigos foram publicados em acesso aberto ,em resposta ao apelo da OMS, em poucos dias estabeleceram-se consórcios internacionais de investigação científica permitindo um progresso rápido, incluindo o sequenciamento do ADN do vírus em apenas algumas semanas).

“Todos nós dependemos da ciência para sobreviver”, concluiu Marcos Pontes, Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação do Brasil.

 

Fonte:https://en.unesco.org/news/unesco-mobilizes-122-countries-promote-open-science-and-reinforced-cooperation-face-covid-19

 

Luanda, 31 de Março de 2020.

Mensagem às Instituições de Ensino Superior (COVID-19)

Caros Membros da Comunidade Académica
Estudantes, Docentes, Investigadores, Funcionários não Docentes, Directores Gerais e Magníficos Reitores das instituições de ensino superior (IES), públicas, privadas e público-privadas

Decretámos, ontem, a suspensão das actividades lectivas no Subsistema do Ensino Superior, no quadro das medidas preventivas de COVID-19. Não encerrámos instituições. Por conseguinte, todas as actividades não lectivas deverão manter-se, com a devida salvaguarda das medidas preventivas emanadas das autoridades nacionais que a situação impõe, cabendo-nos contribuir para a sua ampla difusão no seio das IES.

Esta é uma oportunidade para privilegiar o atendimento digital, a comunicação electrónica e para usar as plataformas digitais de apoio ao ensino presencial. Algumas IES têm experiências de uso destas plataformas digitais, como a Moodle (só para citar um exemplo), que se revelaram bastante úteis e que será bom revitalizar e partilhar.

Mantenhamos a serenidade, estejamos atentos às informações oficiais e combatamos a desinformação e as “Fake News” que apenas nos enfraquecem nesta luta contra a pandemia COVID-19 que é um teste à resiliência humana.

Saudações Académicas!

 

Prof. Doutora Maria do Rosário Bragança Sambo

Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação

 

Decreto Executivo 02/20 de 19 de Março

COVID-19, o que você precisa saber!

Os coronavírus (CoV) são uma grande família de vírus que causam doenças que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV). A doença de coronavírus (COVID-19) é uma nova cepa que foi descoberta em 2019 e não foi identificada anteriormente em seres humanos.

Caracterizar o Covid-19 como uma pandemia não é uma indicação de que o vírus se tornou mais mortal. É sim um reconhecimento da propagação geográfica da doença. Tem se divulgado muitos mitos e informações erradas sobre o coronavírus online – incluindo como o Covid-19 se propaga, como se manter seguro e o que fazer se estiver preocupado com a contaminação pelo vírus. Portanto, é importante ter cuidado ao procurar informações e conselhos.

Como o vírus Covid-19 se propaga?

O vírus é transmitido pelo contacto directo com gotículas respiratórias de uma pessoa infectada (gerada por tosse e espirros) e o toque de superfícies contaminadas. O vírus Covid-19 pode sobreviver em superfícies por várias horas, mas desinfectantes simples podem eliminá-lo.

Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sintomas podem incluir febre, tosse e falta de ar. Em casos mais graves, a infecção pode causar pneumonia ou dificuldades respiratórias. Mais raramente, a doença pode ser fatal.
Esses sintomas são semelhantes aos da gripe ou do resfriado comum, que são muito mais frequentes do que Covid-19. É por isso que os testes são necessários para confirmar se alguém tem Covid-19. É importante lembrar que as principais medidas de prevenção são as mesmas: lavagem frequente das mãos e higiene respiratória (quando tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um cotovelo flexionado ou um lenço de papel e depois jogue fora o lenço de papel em uma lixeira que tenha tampa).

Como posso evitar o risco de infecção?

Aqui estão as três precauções que poderá tomar para evitar a infecção:

 

 

Qual é a melhor maneira de lavar as mãos correctamente?

  • Passo 1: Molhe as mãos e os pulsos com água corrente;
  • Passo 2: Aplique sabão suficiente para cobrir as mãos e os pulsos molhados;
  • Passo 3: Esfregue todas as superfícies, incluindo as costas das mãos, entre os dedos e as unhas, por pelo menos 20 segundos;
  • Passo 4: Enxagúe abundantemente com água corrente;
  • Passo 5: Seque as mãos com um pano limpo ou toalha de uso individual.

Lave as mãos frequentemente, principalmente antes de comer, depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar, e depois de ter ido a casa de banho. Se a água e o sabão não estiverem prontamente disponíveis, use um desinfectante para as mãos à base de álcool com pelo menos 70% de álcool.

Devo usar uma máscara cirúrgica?

O uso de máscara cirúrgica é recomendado caso apresente sintomas respiratórios (tosse ou espirro) para proteger os outros. Caso não apresente nenhum sintoma, não há necessidade de usar uma máscara. O uso de máscara cirúrgica não é suficiente para interromper as infecções, deve ser combinado com a lavagem frequente das mãos, cobrindo a boca e o nariz quando espirrar e tossir, e evitando o contacto próximo com qualquer pessoa com sintomas de gripe ou resfriado (tosse, espirro, febre).

Covid-19 afecta crianças?

Esse é um vírus novo e ainda não sabemos o suficiente sobre como ele afecta crianças ou mulheres grávidas. Sabemos que é possível que pessoas de qualquer idade sejam infectadas pelo vírus, mas até agora houve relativamente poucos casos de Covid-19 entre crianças. O vírus é fatal em casos raros, até agora principalmente entre pessoas idosas com condições médicas preexistentes.

O que devo fazer se minha criança tiver sintomas de Covid-19?

Se os sintomas se agravarem, procure atendimento médico, mas lembre-se de que os sintomas da Covid-19, como tosse ou febre, podem ser semelhantes aos da gripe ou do resfriado comum – que são muito mais frequentes.
Continue com as boas práticas de higiene respiratória e das mãos, como lavar as mãos regularmente, e mantenha as vacinas de suas crianças actualizadas – para que estejam protegidas contra outros vírus e bactérias que causam outras doenças. Como em outras infecções respiratórias, como a gripe, procure atendimento o quanto antes se você ou sua criança perceber o agravamento dos sintomas.

 

Mais informação: https://www.unicef.org/brazil/coronavirus-o-que-voce-precisa-saber

Baixe aqui o poster informativo sobre as medidas de prevenção do COVID-19.

 

Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais